Saiba Como Escolher Móveis Certos Para Uma Sala Pequena

A tarefa de decorar ambientes pequenos tem sido a grande dor de cabeça tanto de profissionais voltados para o setor mobiliário, quanto para os arquitetos, os designers de interiores e os proprietários. Não há mais espaço nos grandes centros urbanos, e isto faz com que a oferta de novos empreendimentos imobiliários esteja cada vez mais voltada aos apartamentos que tenham no máximo 60 metros quadrados. Claro que há o mercado de luxo, com a oferta de apartamentos maiores, mas isto não é a grande maioria dos casos.

 

O que garantem os especialistas, para tristeza de quem adora espaço, é que é possível viver bem em apartamentos compactos, além de ser altamente possível tirar o melhor proveito deles, se fizer as escolhas certas para cada ambiente.

 

E com a oferta maciça desses apartamentos compactos, o ambiente que talvez mais tenha perdido espaço é a sala de estar. E, por ironia, é também um dos ambientes em que as pessoas passam a maior parte de seu tempo. Por isso, é importante saber decorar com inteligência para não perder o conforto e a comodidade que a sala oferece aos moradores da casa.

 

Para quem não pretende abrir mão do aconchego do cantinho mais acolhedor da casa, a dica é evitar móveis com tamanhos exuberantes ou robustos por mais bonitos que eles possam ser, já que eles podem impedir a circulação do local ou obstruir janelas e portas. É possível ter uma estante com tamanho menor, um sofá bacana menor e apostar em outros tamanhos e móveis para conjugar melhor o espaço.

 

Reduzir as medidas da mobília não significa abrir mão do bem-estar. Os sofás retráteis são uma prova disto, e os de cores mais vibrantes como amarelo e vermelho, que ajudam a disfarçar a miudeza do cômodo. Outra aposta é a escolha de elementos que possam mudar de lugar, como o puff, que pode servir de apoio para pés e livros, além de ser um objeto de decoração.

 

Para mesas, a ideia é apostar nas que possuem proporções redondas e que costumam se ajustar melhor a ambientes pequenos, por não oferecerem a necessidade de encaixe. Para estantes e painéis, caso haja a necessidade de guardar objetos e eletrônicos, disponha a estante em um das paredes da sala, pode ser a melhor opção. Do contrário, dá para apostar nos painéis, que podem acoplar as televisões mais finas e deixar o visual moderno.

 

Faça uso ainda de luminárias embutidas são eficientes na busca de qualquer intensidade de luz artificial e não ocupam espaço, abajures de canto e mesas de centro.

Dicas de Decoração de Interiores: Salas em Vermelho

Uma das cores mais desejadas para fazer a decoração de interiores é o vermelho, em especial para salas de estar. No entanto, está também é uma das cores mais temidas pelas pessoas, isto porque embora seja uma das cores mais vibrantes e bonitas, também é uma das mais difíceis de serem harmonizadas. Em excesso, o vermelho pode comprometer toda a harmonia do ambiente, já que o vermelho, também possui um aspecto um tanto quanto negativo: costuma irritar e cansar o olhar das pessoas.

 

Usar cores fortes em decoração de interiores como o vermelho faz uma grande diferença no conjunto, mas pede também alguns cuidados na decoração. Apostar no vermelho é muito assertivo, e entre cores como marrom, preto ou até mesmo cinza, o vermelho agrega muito mais, além de embelezar os elementos, isto se estes forem combinados de maneira adequada.

 

O ideal é sempre mesclar cores mais fortes e tons mais neutros. Uma boa pedida em salas de estar, por exemplo, é usar poltronas com estampas em vermelho, que combinam novamente com a sala em tons neutros acrescentada de pontos coloridos e um puff que é ponto alto colorido – que até faz as poltronas ficarem menos ressaltadas e até mesmo comportadas.

 

O vermelho é uma cor quente que pode ser amenizada e conferir um ar mais romântico, para quem não quer chocar muito. Aposte, portanto, em detalhes nos tapetes, e outras peças decorativas, como vasos e abajures.

 

Quem já possui alguma peça em tom mais forte, como sofá forrado com tecido em tom marrom, pode apostar em cadeiras com estofamento em vermelho. A cor vermelha ajuda a quebrar a sobriedade causada pelo tom forte.

 

Outra aposta deve ser a pintura de uma única parede da sala em vermelho. Mas, somente funciona bem em uma sala grande e bem iluminada, de preferência que a iluminação seja natural. Para quebrar o efeito chocante, opte por branco nas demais paredes, e móveis que possuam cores claras, também pode ser branco, bege e nude. Evite apenas pintar paredes em vermelho se o espaço da sala for limitado, isto porque causará o efeito de sala mal iluminada e o espaço ficará mais reduzido ainda.

 

Para salas mais rústicas cujas paredes tenham acabamento em tijolinho a vista, aposte em um sofá com estofamento vermelho. Mas a regra é clara: o piso deve ser mais claro, e se não for, o tapete deve ser em tom o mais suave possível.

Dicas de Como Deixar Salas Escuras Mais Iluminadas

Um ambiente muito escuro é considerado um ambiente sem vida, uma vez que criam um clima pesado em toda a casa. Deixar a luz natural adentrar no ambiente pode ser muito vantajoso, tanto para facilitar as atividades do dia a dia quanto para deixar o ambiente mais alegre e cheio de vida. Quem acredita que é impossível deixar uma sala escura mais iluminada, engana-se. É possível com alguns truques iluminar o ambiente e trazer mais alegria e aconchego para a casa.

 

Para deixar a casa mais clara, primeiro é preciso observar por que existe pouca luz no ambiente. Opções para clarear a casa, não faltam entre elas optar por paredes com cores claras, iluminação natural através de claraboias ou mesmo a incorporação tijolos de vidro; há ainda a opção de piso com cores claras. Na hora de fazer a escolha das peças que comporão o mobiliário também é importante atentar para não tornar o ambiente pesado demais. Harmonia é a palavra de ordem na decoração de interiores.

 

Também é imprescindível atentar-se para as cortinas da sala, já que é preciso ter o para não de não escolher tecidos muito escuros, já que sua principal intenção, nesse caso, é não diminuir a claridade do cômodo. Para não diminuir a entrada de luz, é interessante utilizar tecidos leves de fibras naturais ou voil com cores claras, branco ou em tons de palha ou gelo. Cinza bem claro também funciona adequadamente.

 

O piso também deve ser escolhido com cautela, principalmente se for de madeira, quanto mais nobre a madeira, a tendência é que ela seja mais escura. Há ainda uma grande diversidade de tipos de pisos e, se o ambiente não for muito amplo, deve-se optar pelos tons mais claros. A recomendação serve também para todos os outros tipos de pisos, como porcelanatos, laminados, mármores e até cimento queimado.

 

Vale ainda apostar em uma pequena reforma, caso não seja possível aumentar a luminosidade do ambiente com os truques mais corriqueiros. Para reformas, é importante observar o que há na casa. Se o piso for escuro, pode-se trabalhar com tapetes claros pontuais, revestimentos ou papeis de paredes de cores claras e buscar aberturas externas onde for adequado, permitindo a entrada de luz natural.

 

Também é importante investir muito na iluminação adequada do local. Além da iluminação natural, também é necessário investir nas lâmpadas e luminárias mais assertivas. Em ambientes escuros é mais eficiente a utilização de luzes brancas, já que as amarelas deixam o ambiente mais apagado. A utilização de abajures ou luminárias de piso é uma ótima estratégia para reforçar a iluminação sem precisar modificar as instalações elétricas.

Decorando o Interior de Salas em Tons de Cinza

Decorar o interior de ambientes é tarefa, no mínimo, trabalhosa. É por isso que tantas pessoas buscam a ajuda de profissionais da área para realizar as tarefas de decidir o que melhor se harmoniza ou não em determinados espaços. E não é apenas isto. Decorar também é trabalhoso porque fugir do lugar comum pode implicar em ter de fazer o uso de determinadas cores que nem sempre são fáceis de serem combinadas, como é o caso do cinza.

 

Diferente do vermelho, que as pessoas adoram e temem errar pelo excesso, a cor cinza, que é a mais neutra dentre todas. Trata-se ainda de uma cor fria, que em algumas culturas possui uma simbologia muito negativa, como remete às dificuldades, os momentos nebulosos, à dor e também à morte. No entanto, em outros segmentos, pode simbolizar um escudo justamente contra tais forças negativas. Enfim, a cor cinza pode ser usada em decoração de interior de salas sem que haja medo por parte do morador. Assim como outras cores, basta que alguns cuidados sejam tomados e as misturas para harmonizar a cor cinza sejam realizadas.

 

E acredite: a cor cinza está em alta entre os designers de interiores. Isto porque, ao contrário das simbologias que perpassam as inúmeras tradições, o cinza possui uma gama de tonalidades quase infinita, cujas características observadas são comuns: todos enfatizam as cores que os acompanham. E, este é o trunfo que, se bem usado, permite efeitos que agradam a todos os gostos, desde os que adoram neutros até os que são fascinados por ambientes coloridos.

 

A cor cinza apresenta uma sofisticação quase ímpar quando usada corretamente. Ela pode ser combinada de maneira fácil com branco, preto, tons de bege e outros tons de cinza. Também é conveniente que uma única parede da sala seja pintada com um cinza mais escuro e, nas demais prevaleça o branco. Combine poltronas em tons de azul sujo (envelhecido), com móveis em madeira mais clara. Cria-se, portanto, um aspecto de sofisticação.

 

O cinza também fica bem interessante em salas bem iluminadas, de preferência que tenham o predomínio de janelões ou algumas paredes de vidro. Móveis brancos ajudam a ressaltar ainda mais a iluminação natural do ambiente. Opte por um sofá com um tom em cinza mais escuro. Para os mais ousados, um sofá em tom de vinho cai perfeitamente bem. Complete a decoração com objetos em tons de verde musgo.

 

Como Decorar o Interior de Salas de Jantar e Estar Integradas?

Uma tendência dos últimos anos são as salas de estar integradas às salas de jantar e vice versa. Trata-se de um fenômeno cada vez mais comum, justamente por conta dos espaços que estão cada vez mais reduzidos, em particular em projetos imobiliários recentes. Os apartamentos padrão hoje possuem em torno de 60 m quadrados, o que reduz as possibilidades de se fazer construções convencionais, as quais separavam os ambientes. Hoje, o que se vê é a sala de jantar como uma área de jantar, com mesa, cadeira e aparador, quando há. Neste tipo de projeto, o grande desafio de decorar o interior do ambiente é conseguir manter o conforto e a funcionalidade sem que haja perda de área para circulação de pessoas.

 

O primordial neste tipo de projeto é combinar adequadamente as cores, para que elas se comuniquem bem entre si. Mesmo em locais onde haja muito espaço, é importante que seja prioritário o espaço entre uma sala e outra, para que os dois ambientes, embora conjugados e integrados, tenham seus papéis bem definidos. Caso não haja este espaço, a sala acaba se tornando um local único, em que a cozinha é que ganhará mais destaque.

 

Para dividir adequadamente os espaços, é fundamental apostar em texturas diferentes bem como na distribuição assertiva dos móveis, que são os elementos que não ocupam a mesma área. As paredes precisam ter pinturas diferenciadas, ou aplicação de papel de parede e texturas que façam a identificação de cada uma das áreas: sala de jantar e sala de estar.

 

Também é possível fazer a divisão dos ambientes apostando em uma iluminação diferenciada para cada uma das salas. Na sala de estar, uma iluminação mais suave, com lâmpadas amarelas, garantem uma sensação de aconchego maior.  Já na sala de jantar, a iluminação deverá ser mais clara – luzes brancas acomodam melhor a funcionalidade do espaço.

 

É possível ainda acomodar os dois espaços, a partir da disposição dos móveis. Colocar a sala de jantar próxima aos sofás permite uma integração dos ambientes. No entanto, vale lembrar que isto deve ser feito de maneira que não impeça a circulação das pessoas entre a mesa e o sofá e demais locais para acomodação.

 

Há ainda a possibilidade de integrar os ambientes fazendo o uso de aparadores e estantes vazadas. Com o primeiro, ele poderá servir de apoio para as louçarias enquanto as refeições são servidas. Já a estante, ajuda a acomodar objetos de uso frequente ou decorativos.

Móveis Para Sala de Jantar, Como Escolher

Uma casa é sempre composta de diversos cômodos. Em contrapartida nem todas as casas são iguais, e tem um mesmo estilo e tipos de repartições.

Uma residência é composta de quartos, banheiros, salas, varandas ou quintais e cozinhas. Muitas casas têm até mesmo outras instalações que geram uma maior comodidade para o espaço social do morador.

Saiba que a sala de jantar é um bom exemplo, chamada de copa, nada mais é do que uma sala onde as pessoas se reúnem para fazer as suas refeições na hora do café da manhã, do almoço, jantar, ou ainda qualquer outra hora.

Uma boa sala de jantar, que seja bem decorada, poderá deixar qualquer refeição mais gostosa. Por isso se você quer algumas dicas de decoração para a sua sala de jantar, veja a seguir os melhores móveis que você pode optar.

Estude bem seu espaço

Depois que planejar bem o seu espaço, prefira por uma paleta de três cores no máximo. Caso você queira uma sala de jantar em preto, branco e prata por exemplo, procure escolher uma boa mesa de vidro que tenha um suporte de mármore na parte de baixo em cor branca.

Evite colocar forros nas mesas. Mesas de vidro são bonitas ao natural, procure se limitar apenas em a decorar com um vaso bonito no meio de sua cor preta. Outra particularidade é que as cadeiras podem ter uma cor preta e branca, e podem ser almofadadas ou não, tudo depende de sua escolha e de sua preferência.

Embaixo da mesa, você poderá colocar um tapete felpudo e bonito na cor prata. Você poderá ainda optar por outras cores e fazer este mesmo processo.

Caso você seja uma pessoa mais divertida, e goste de espaços que possuem cores, não existe nada melhor do que escolher por móveis e adereços que sejam coloridos.

A sala de jantar mais colorida poderá ser simples, procure comprar tamboretes ou banquinhos e coloque sobre eles almofadas coloridas para que possam ficar além de visualmente bonitos, tenhamos um maior conforto.

Coloque também um caminho de mesa colorido e opte por uma mesa de madeira, e em seu meio enfeite com folhas e flores preferidas.

Escolhendo Mesas Para a Sala de Jantar

A escolha da mesa de jantar é uma das tarefas mais delicadas quando se trata de definir os móveis de uma casa, há vários fatores que influenciam diretamente nesse tipo de escolha, na que deve respeitar o estilo decorativo predominante no ambiente, o tamanho da sala de jantar, bem como se ele hoje é conjugado com outros espaços – uma tendência que está cada vez mais em alta. Nesse caso, a mesa de jantar poderá ficar encostada próximo à parede que faz a divisão do ambiente, para que não atrapalhe a circulação de pessoas nem ocupe mais espaço do que ela deveria ocupar.

 

Para este tipo de situação, o mais adequado são os modelos de mesa retangulares, já que podem se encaixar bem aos cantos da sala, ou se ajustarem às divisões de ambientes. São modelos clássicos e ao mesmo tempo, bem contemporâneos, aos novos modelos e designers de habitação. Procure escolher mesas que tenham pés em modelos e matérias mais diferenciados como lacas brilhantes ou até mesmo em aço. As mesas com este tipo de acabamento acabam tendo muito destaque, pois fogem dos modelos mais comuns. Além disso, possuem resistência e durabilidades maiores, principalmente se forem movimentadas para limpeza com certa frequência.

 

Quem já tem a certeza de que não irá fazer a movimentação do móvel, pode fazer uma mistura de materiais: mesa retangular para seis ou oito cadeiras (ocupantes) com tampo de vidro de 10 a 15 mm, em vidro temperado, e pés projetados em mármore ou granito. Mesas com tampo de vidro também combinam muito bem com cadeiras de acrílico, além de estarem em alta.

 

Já as mesas com formatos redondos ou ovais são mais apropriadas para quem não vai precisar orientar melhor o espaço, bonitas, mas perdem na distribuição do ambiente. São mais indicadas para sala de jantar que não é conjugada com nenhum ambiente.

 

Quem já vive em casas com ambientes mais rústicos e quer conferir um ar de requinte, pode optar por mesas que tenham o tampo e os pés em madeira – uma boa pedida são as mesas de madeira de demolição. Rústicas, combinam com cadeiras estofadas e altas. Elas agregam um estilo mais sóbrio e clássico para o conjunto. Já para aqueles que vivem em casas no estilo campestre, mesas mais rústicas combinam perfeitamente com bancos conjugados para duas ou mais pessoas. Este tipo de mesa pode ser encontrado em lojas de móveis rústicos ou ainda é possível encomendá-las a marceneiros especializados em fabricação deste tipo de móvel.

Escolhendo Aparadores Para a Sala de Jantar

O aparador é um tipo de móvel que é constituído por um armário na parte inferior e, às vezes, por prateleiras abertas ou envidraçadas em sua parte superior. Usado para guardar objetos como prataria, louças, e talheres; também é muito usado como uma forma de apoio, no momento de servir jantares. Ainda é uma peça tradicional para fazer a divisão de ambientes, ou servir apenas como peça decorativa em diversos ambientes da casa.

 

Estes móveis são excelentes opções porque são móveis muito compactos e de utilidades variadas. Quem quer conferir ao ambiente modernidade, classe e elegância, além de funcionalidade, deve apostar na peça, que não deveria faltar em nenhuma decoração. Outra vantagem dos aparadores é que eles tendem a custar bem pouco. Não se tratam de peças muito caras. Os aparadores são móveis, mas também artigos de decoração atemporais, democráticos e cheios de estilo. Em outras palavras, existem aparadores para todos os bolsos, gostos e perfis.

 

Para fazer a compra de um aparador é importante definir o local onde ele será colocado. Este cuidado é importante até para não fazer compras por impulso e nem acabar optando por um móvel que não combine com o ambiente. Várias opções estão disponíveis no mercado, desde aparadores mais rústicos e simples até os modelos clássicos e sofisticados.

 

Para fazer uma escolha adequada para usar na sala de jantar, o ideal é considerar a beleza, a funcionalidade, o restante da decoração e as medidas do aparador. Ele pode ter uma linha mais clássica, de cores neutras e de linhas retas. Caso queira fazer qualquer tipo de contraste, optar por formas, cores e designs inovadores pode realçar ainda mais a beleza do ambiente. O ideal é que ele seja colocado encostado diretamente me uma parede e que tenha o tamanho de mais de 1,0 m para servir adequadamente ao espaço. Muitas pessoas usam ter um aparador feito do mesmo material que o da mesa da sala de jantar.

 

Vale lembrar que os aparadores não precisam necessariamente ser usados em salas de jantar. De fato, estes móveis são mais utilizados nas cozinhas e salas de estar, mas hoje não há muitas regras. Os aparadores podem ser usados em diferentes cômodos e ambientes. No final dos corredores, o efeito é muito sofisticado. No hall de entrada ou no escritório, os aparadores caem muito bem. Na sala de jantar e nos quartos, eles ficam perfeitos com vasos modernos. Mas tem um detalhe: para não errar, é importante não encher a casa de aparadores.

Como Escolher as Cadeiras da Mesa da Sala de Jantar

Cadeiras são móveis que custam muito caro. E a escolha delas precisa ser bastante assertiva e estar de acordo com outras peças do mobiliário – em geral, com a mesa da sala de jantar – porque não se trata de peças que podem ser repostas a cada seis meses.  A compra de cadeiras de qualidade deve ser vista como um investimento para o seu mobiliário.

 

A justificativa de alguns designers para o preço de cadeiras ser tão elevado é a dificuldade em se projetar cadeiras de alto padrão e com um nível de beleza aceitável. De acordo com os projetistas de cadeiras, elas requerem um estudo profundo de dimensões e posturas do corpo humano, além da resistência e propriedades dos materiais usados em sua construção. Por isso, é fundamental experimentar vários modelos, afinal, um assento confortável para uma pessoa pode não ser para outra.

 

A escolha de cadeiras para a casa, deve sempre começar pelas que serão utilizadas na mesa de jantar. Trata-se de um local que sempre recebe uma grande circulação de pessoas – é o local de encontro e reunião da família, bem como serve para local de eventos mais intimistas.

 

Há aqui algumas dicas que devem ser consideradas para a escolha de cadeiras para mesa da sala de jantar. Se a mesa tiver a base ou tampo muito trabalhados, procure cadeiras mais simples, e vice versa. Lembre-se que uma peça deve valorizar a outra, e não competir com ela. As cadeiras podem ser com ou sem braços, mas uma dica para tirar a monotonia é usar as com braços, ou de modelos diferentes nas cabeceiras.

 

Mas elas não precisam ser compradas em  conjunto com os móveis combinados, pois a mistura de estilos e materiais é sempre mais interessante. Se há uma  mesa contemporânea escolha por cadeiras que tenham estilo de época; caso a mesa seja de cristal, uma ótima escolha são as cadeiras de madeira, quebram o luxo e delicadeza; já os que têm mesas em laca as cadeiras em couro são perfeitas.

 

Vale ainda pensar no conjunto que se deseja formar. Uma cadeira muito trabalhada e com encosto alto pode ser linda, mas se usada em uma mesa para oito pessoas pode criar um efeito muito pesado para o ambiente. Caso precise comprar tecidos para assento e encosto, prefira os laváveis e escuros, que são mais resistentes, e não se esqueça de contabilizar esse custo ao valor final da peça.

Como Dispor as Mesas de Jantar nas Salas

Quem não gosta de ter uma sala de jantar elegante, e, ao mesmo tempo, funcional? Não é de fato uma tarefa muito simples fazer a disposição correta dos móveis da sala de jantar para que ela fique agradável e elegante, em especial em apartamentos que não tenham muito espaço, uma vem que há poucas opções de disposição. Há segredos, porém, que podem ser aplicados e fazer com que o ambiente fique rico e  muito mais aconchegante. Basta escolher o modelo de mesa correto para cada tamanho e disposição de espaço de sala de jantar.

 

Vale lembrar que há no mercado uma série de modelos de mesas de jantar. Além dos conjuntos que podem ser comprados prontos, é interessante notar como se combinam mesas, cadeiras e lustres, que devem formar uma composição afinada de acordo com o estilo da casa.

 

A primeira regra  que deve ser levada em consideração é o espaço que precisa ser reservado para a circulação de pessoas, somente depois disso, é que se faz a escolha da mesa com as cadeiras. Reserve, ao redor da mesa, ao menos 1 m de espaço para a movimentação das cadeiras e a circulação das pessoas.

 

Procure misturar formas, é uma dica bastante inteligente. Mesas retangulares caem muito bem com cadeiras que tenham acabamento mais arredondado  no encosto. Já mesas com tampo de vidro caem muito bem com cadeiras que tenham encosto mais alto e sejam estofadas. Aposte, portanto, em contrastes.

 

Mesas retangulares ou quadradas ainda combinam muito bem com cadeiras de acrílico transparentes. Mesmo que elas sejam mais caras, é uma boa aposta. Confere um grau de modernidade à sala de jantar.

 

Disponha a mesa sempre na parte mais comprida do ambiente. Vale a regra de circulação aqui.

 

Também faça uso de aparadores, se caso a sala de jantar tiver um espaço bem limitado, o ideal é fazer o uso do recurso do espelho: espelhos são ótimos para conferir a sensação de amplitude do local.

 

Evite mesas redondas. Elas costumam achatar ainda mais o espaço. Mas, se a opção for por este modelo, invista em mesas que tenham pratos giratórios ao centro, para evitar que a circulação fique comprometida.

 

As mesas quadradas seguem praticamente o mesmo padrão da disposição das retangulares. Mas estão mais aconselhadas para ambientes mais apertados ainda. Mesas quadradas não devem ter mais do que 8 lugares, caso contrário ganham também um ar de achatamento.