Saiba Como Escolher Móveis Certos Para Uma Sala Pequena

A tarefa de decorar ambientes pequenos tem sido a grande dor de cabeça tanto de profissionais voltados para o setor mobiliário, quanto para os arquitetos, os designers de interiores e os proprietários. Não há mais espaço nos grandes centros urbanos, e isto faz com que a oferta de novos empreendimentos imobiliários esteja cada vez mais voltada aos apartamentos que tenham no máximo 60 metros quadrados. Claro que há o mercado de luxo, com a oferta de apartamentos maiores, mas isto não é a grande maioria dos casos.

 

O que garantem os especialistas, para tristeza de quem adora espaço, é que é possível viver bem em apartamentos compactos, além de ser altamente possível tirar o melhor proveito deles, se fizer as escolhas certas para cada ambiente.

 

E com a oferta maciça desses apartamentos compactos, o ambiente que talvez mais tenha perdido espaço é a sala de estar. E, por ironia, é também um dos ambientes em que as pessoas passam a maior parte de seu tempo. Por isso, é importante saber decorar com inteligência para não perder o conforto e a comodidade que a sala oferece aos moradores da casa.

 

Para quem não pretende abrir mão do aconchego do cantinho mais acolhedor da casa, a dica é evitar móveis com tamanhos exuberantes ou robustos por mais bonitos que eles possam ser, já que eles podem impedir a circulação do local ou obstruir janelas e portas. É possível ter uma estante com tamanho menor, um sofá bacana menor e apostar em outros tamanhos e móveis para conjugar melhor o espaço.

 

Reduzir as medidas da mobília não significa abrir mão do bem-estar. Os sofás retráteis são uma prova disto, e os de cores mais vibrantes como amarelo e vermelho, que ajudam a disfarçar a miudeza do cômodo. Outra aposta é a escolha de elementos que possam mudar de lugar, como o puff, que pode servir de apoio para pés e livros, além de ser um objeto de decoração.

 

Para mesas, a ideia é apostar nas que possuem proporções redondas e que costumam se ajustar melhor a ambientes pequenos, por não oferecerem a necessidade de encaixe. Para estantes e painéis, caso haja a necessidade de guardar objetos e eletrônicos, disponha a estante em um das paredes da sala, pode ser a melhor opção. Do contrário, dá para apostar nos painéis, que podem acoplar as televisões mais finas e deixar o visual moderno.

 

Faça uso ainda de luminárias embutidas são eficientes na busca de qualquer intensidade de luz artificial e não ocupam espaço, abajures de canto e mesas de centro.

Dicas de Decoração de Interiores: Salas em Vermelho

Uma das cores mais desejadas para fazer a decoração de interiores é o vermelho, em especial para salas de estar. No entanto, está também é uma das cores mais temidas pelas pessoas, isto porque embora seja uma das cores mais vibrantes e bonitas, também é uma das mais difíceis de serem harmonizadas. Em excesso, o vermelho pode comprometer toda a harmonia do ambiente, já que o vermelho, também possui um aspecto um tanto quanto negativo: costuma irritar e cansar o olhar das pessoas.

 

Usar cores fortes em decoração de interiores como o vermelho faz uma grande diferença no conjunto, mas pede também alguns cuidados na decoração. Apostar no vermelho é muito assertivo, e entre cores como marrom, preto ou até mesmo cinza, o vermelho agrega muito mais, além de embelezar os elementos, isto se estes forem combinados de maneira adequada.

 

O ideal é sempre mesclar cores mais fortes e tons mais neutros. Uma boa pedida em salas de estar, por exemplo, é usar poltronas com estampas em vermelho, que combinam novamente com a sala em tons neutros acrescentada de pontos coloridos e um puff que é ponto alto colorido – que até faz as poltronas ficarem menos ressaltadas e até mesmo comportadas.

 

O vermelho é uma cor quente que pode ser amenizada e conferir um ar mais romântico, para quem não quer chocar muito. Aposte, portanto, em detalhes nos tapetes, e outras peças decorativas, como vasos e abajures.

 

Quem já possui alguma peça em tom mais forte, como sofá forrado com tecido em tom marrom, pode apostar em cadeiras com estofamento em vermelho. A cor vermelha ajuda a quebrar a sobriedade causada pelo tom forte.

 

Outra aposta deve ser a pintura de uma única parede da sala em vermelho. Mas, somente funciona bem em uma sala grande e bem iluminada, de preferência que a iluminação seja natural. Para quebrar o efeito chocante, opte por branco nas demais paredes, e móveis que possuam cores claras, também pode ser branco, bege e nude. Evite apenas pintar paredes em vermelho se o espaço da sala for limitado, isto porque causará o efeito de sala mal iluminada e o espaço ficará mais reduzido ainda.

 

Para salas mais rústicas cujas paredes tenham acabamento em tijolinho a vista, aposte em um sofá com estofamento vermelho. Mas a regra é clara: o piso deve ser mais claro, e se não for, o tapete deve ser em tom o mais suave possível.

Dicas de Como Deixar Salas Escuras Mais Iluminadas

Um ambiente muito escuro é considerado um ambiente sem vida, uma vez que criam um clima pesado em toda a casa. Deixar a luz natural adentrar no ambiente pode ser muito vantajoso, tanto para facilitar as atividades do dia a dia quanto para deixar o ambiente mais alegre e cheio de vida. Quem acredita que é impossível deixar uma sala escura mais iluminada, engana-se. É possível com alguns truques iluminar o ambiente e trazer mais alegria e aconchego para a casa.

 

Para deixar a casa mais clara, primeiro é preciso observar por que existe pouca luz no ambiente. Opções para clarear a casa, não faltam entre elas optar por paredes com cores claras, iluminação natural através de claraboias ou mesmo a incorporação tijolos de vidro; há ainda a opção de piso com cores claras. Na hora de fazer a escolha das peças que comporão o mobiliário também é importante atentar para não tornar o ambiente pesado demais. Harmonia é a palavra de ordem na decoração de interiores.

 

Também é imprescindível atentar-se para as cortinas da sala, já que é preciso ter o para não de não escolher tecidos muito escuros, já que sua principal intenção, nesse caso, é não diminuir a claridade do cômodo. Para não diminuir a entrada de luz, é interessante utilizar tecidos leves de fibras naturais ou voil com cores claras, branco ou em tons de palha ou gelo. Cinza bem claro também funciona adequadamente.

 

O piso também deve ser escolhido com cautela, principalmente se for de madeira, quanto mais nobre a madeira, a tendência é que ela seja mais escura. Há ainda uma grande diversidade de tipos de pisos e, se o ambiente não for muito amplo, deve-se optar pelos tons mais claros. A recomendação serve também para todos os outros tipos de pisos, como porcelanatos, laminados, mármores e até cimento queimado.

 

Vale ainda apostar em uma pequena reforma, caso não seja possível aumentar a luminosidade do ambiente com os truques mais corriqueiros. Para reformas, é importante observar o que há na casa. Se o piso for escuro, pode-se trabalhar com tapetes claros pontuais, revestimentos ou papeis de paredes de cores claras e buscar aberturas externas onde for adequado, permitindo a entrada de luz natural.

 

Também é importante investir muito na iluminação adequada do local. Além da iluminação natural, também é necessário investir nas lâmpadas e luminárias mais assertivas. Em ambientes escuros é mais eficiente a utilização de luzes brancas, já que as amarelas deixam o ambiente mais apagado. A utilização de abajures ou luminárias de piso é uma ótima estratégia para reforçar a iluminação sem precisar modificar as instalações elétricas.

Decorando o Interior de Salas em Tons de Cinza

Decorar o interior de ambientes é tarefa, no mínimo, trabalhosa. É por isso que tantas pessoas buscam a ajuda de profissionais da área para realizar as tarefas de decidir o que melhor se harmoniza ou não em determinados espaços. E não é apenas isto. Decorar também é trabalhoso porque fugir do lugar comum pode implicar em ter de fazer o uso de determinadas cores que nem sempre são fáceis de serem combinadas, como é o caso do cinza.

 

Diferente do vermelho, que as pessoas adoram e temem errar pelo excesso, a cor cinza, que é a mais neutra dentre todas. Trata-se ainda de uma cor fria, que em algumas culturas possui uma simbologia muito negativa, como remete às dificuldades, os momentos nebulosos, à dor e também à morte. No entanto, em outros segmentos, pode simbolizar um escudo justamente contra tais forças negativas. Enfim, a cor cinza pode ser usada em decoração de interior de salas sem que haja medo por parte do morador. Assim como outras cores, basta que alguns cuidados sejam tomados e as misturas para harmonizar a cor cinza sejam realizadas.

 

E acredite: a cor cinza está em alta entre os designers de interiores. Isto porque, ao contrário das simbologias que perpassam as inúmeras tradições, o cinza possui uma gama de tonalidades quase infinita, cujas características observadas são comuns: todos enfatizam as cores que os acompanham. E, este é o trunfo que, se bem usado, permite efeitos que agradam a todos os gostos, desde os que adoram neutros até os que são fascinados por ambientes coloridos.

 

A cor cinza apresenta uma sofisticação quase ímpar quando usada corretamente. Ela pode ser combinada de maneira fácil com branco, preto, tons de bege e outros tons de cinza. Também é conveniente que uma única parede da sala seja pintada com um cinza mais escuro e, nas demais prevaleça o branco. Combine poltronas em tons de azul sujo (envelhecido), com móveis em madeira mais clara. Cria-se, portanto, um aspecto de sofisticação.

 

O cinza também fica bem interessante em salas bem iluminadas, de preferência que tenham o predomínio de janelões ou algumas paredes de vidro. Móveis brancos ajudam a ressaltar ainda mais a iluminação natural do ambiente. Opte por um sofá com um tom em cinza mais escuro. Para os mais ousados, um sofá em tom de vinho cai perfeitamente bem. Complete a decoração com objetos em tons de verde musgo.

 

Como Decorar o Interior de Salas de Jantar e Estar Integradas?

Uma tendência dos últimos anos são as salas de estar integradas às salas de jantar e vice versa. Trata-se de um fenômeno cada vez mais comum, justamente por conta dos espaços que estão cada vez mais reduzidos, em particular em projetos imobiliários recentes. Os apartamentos padrão hoje possuem em torno de 60 m quadrados, o que reduz as possibilidades de se fazer construções convencionais, as quais separavam os ambientes. Hoje, o que se vê é a sala de jantar como uma área de jantar, com mesa, cadeira e aparador, quando há. Neste tipo de projeto, o grande desafio de decorar o interior do ambiente é conseguir manter o conforto e a funcionalidade sem que haja perda de área para circulação de pessoas.

 

O primordial neste tipo de projeto é combinar adequadamente as cores, para que elas se comuniquem bem entre si. Mesmo em locais onde haja muito espaço, é importante que seja prioritário o espaço entre uma sala e outra, para que os dois ambientes, embora conjugados e integrados, tenham seus papéis bem definidos. Caso não haja este espaço, a sala acaba se tornando um local único, em que a cozinha é que ganhará mais destaque.

 

Para dividir adequadamente os espaços, é fundamental apostar em texturas diferentes bem como na distribuição assertiva dos móveis, que são os elementos que não ocupam a mesma área. As paredes precisam ter pinturas diferenciadas, ou aplicação de papel de parede e texturas que façam a identificação de cada uma das áreas: sala de jantar e sala de estar.

 

Também é possível fazer a divisão dos ambientes apostando em uma iluminação diferenciada para cada uma das salas. Na sala de estar, uma iluminação mais suave, com lâmpadas amarelas, garantem uma sensação de aconchego maior.  Já na sala de jantar, a iluminação deverá ser mais clara – luzes brancas acomodam melhor a funcionalidade do espaço.

 

É possível ainda acomodar os dois espaços, a partir da disposição dos móveis. Colocar a sala de jantar próxima aos sofás permite uma integração dos ambientes. No entanto, vale lembrar que isto deve ser feito de maneira que não impeça a circulação das pessoas entre a mesa e o sofá e demais locais para acomodação.

 

Há ainda a possibilidade de integrar os ambientes fazendo o uso de aparadores e estantes vazadas. Com o primeiro, ele poderá servir de apoio para as louçarias enquanto as refeições são servidas. Já a estante, ajuda a acomodar objetos de uso frequente ou decorativos.

Saiba Como Escolher o Sofá Ideal Para a Sua Casa

O erro na escolha de um sofá poderá gerar sérios problemas, e é bastante comum isto acontecer, como resultados temos um ambiente cansativo, um 7espaço menor, e dificuldades para a sua manutenção.

Para que se possa compor um espaço diferenciado e aconchegante, e ainda evitar arrependimentos, a seguir iremos dar algumas dicas de especialistas para escolher os melhores modelos de sofá para a sua casa.

Como escolher o melhor sofá para sala de tv ou para home theater

Este sofá precisa contar com uma espuma mais mole para gerar um maior conforto, e facilitar o acesso de quem irá passar períodos longos assistindo filmes e programas. Já em sua sala de estar, as almofadas podem ser mais duras.

O móvel escolhido poderá determinar o seu tapete. Caso ele seja escuro, uma boa pedida é investir em uma peça mais clara para o chão. Se ele for estampado, a melhor pedida é escolher uma que seja neutra, um sofá de modelo liso abre o espaço para o tapete com estampas.

Para não errar, prefira por sofás que sejam lisos sempre.

Casas com crianças e animais de estimação precisam ter alguns cuidados

Para quem mora em casas com crianças e animais de estimação, é importante optar por um sofá escuro, este sofá irá disfarçar da melhor forma possível as sujeiras. Nesta situação a decoração do resto do ambiente precisa priorizar os tons mais claros, evitando um ar pesado e um aspecto de espaço que seja menor.

Salas comuns contam com espaços para dois sofás de tamanhos diferentes

Na maioria das vezes, as salas possuem um espaço que pode ser aproveitado com dois sofás de tamanhos diferentes. Quem quiser é possível combinar ainda uma tonalidade de uma mesma cor, por exemplo investir no azul claro em uma peça e azul claro na outra peça.

Para finalizar, é interessante citar que é mais barato investir nos detalhes coloridos do que em um sofá mais chamativo. Caso você enjoe basta comprar algumas mantas e almofadas diferentes, o que poderá sair muito mais barato do que um móvel novo.

 

Dicas Para Escolher um Bom Sofá Para a Casa

Sofá ideal para a casa é aquele que garante conforto, comodidade e durabilidade. Além disso, ele precisa ter um custo benefício adequado aos padrões dos moradores. Não adianta investir muito em um sofá e não poder fazer a aquisição de outros móveis. E errar na escolha desse tipo de móvel, pode haver uma série de problemas, como ambiente cansativo, com aspecto menor, dificuldades de manutenção. Para conseguir compor um espaço aconchegante e evitar arrependimentos fique atento a algumas dicas de quem entende do assunto.

 

Atente-se para a densidade da espuma do sofá antes de fazer a compra. Se o sofá for para a sala de tevê e home theater, o sofá deve ter espuma mais mole (de densidade menor) devido ao conforto que proporciona a quem vai passar períodos longos assistindo a filmes e programas. Este tipo de sala pede um tecido no acabamento do sofá, poque é mais aconchegante e ganha praticidade com a impermeabilização, por facilitar a limpeza e dificultar a absorção de líquidos.

 

Na sala de estar, a densidade da espuma pode ser mais alta. O revestimento de mais fácil manutenção é o de couro ecológico, indicado para sala de estar.

 

Também é importante não errar quanto à escolha da cor / tecido / revestimento do sofá. Ele deve combinar com o tapete com o qual será mantido. O móvel determina o tapete. Se for escuro, vale investir em uma peça clara para o chão. Caso seja estampado, é melhor escolher uma neutra. Sofá liso abre espaço ao tapete com estampa. Por isso, o ideal é apostar em sofás de revestimento lisos.

 

Casas que tenham crianças os cuidados na hora de fazer a compra do sofá devem ser redobrados. A dica é optar por sofá escuro, que disfarça melhor possíveis sujeiras. Nesse caso, a decoração do restante do ambiente deve priorizar tons claros, evitando ar pesado e aspecto de que o espaço é menor.

 

Os tons de bege estão sempre em evidência. As tendências da moda para sofá em alta são tonalidades de cinza e de azul.

 

Salas que tenham pouco espaço, o ideal é ter sofás de dois lugares e poltronas.  Quem quiser pode combinar tonalidades de uma mesma cor, por exemplo, azul-escuro em uma peça e azul-claro em outra. Opte ainda pela colocação de puffs em caso de espaços bem reduzidos. Verifique se há pelo menos 70 cm de espaço para circulação em volta do móvel.

 

Em caso de mais espaço, sofás podem ser utilizados para dividir o ambiente.

Como Escolher Mesas de Centro e de Canto

Quem não tem uma mesa de centro para ajudar na decoração dos ambientes deve fazer uma grande aposta na aquisição desse tipo de móvel. Mais conhecidas como mesas de centro ou de canto, dependendo do lugar onde são instaladas, estas mesinhas nunca saem de moda e estão em constante transformação.

 

Este tipo de móvel completa a decoração da sala de estar ou de TV, e está cada vez mais charmosos e cheios de estilo, isto independendo do local onde serão colocadas. Embora algumas pessoas ainda creiam na máxima que ter uma mesa de centro possa ser um excesso ou pequeno luxo decorativo, a questão não deve ser vista dessa maneira. O grande segredo para usar mesas de centro de forma adequada é montar uma sala usando esta peça na decoração, respeitando a proporção entre a área disponível para ela, e o tamanho dos móveis e o número de peças empregadas na decoração, de forma a obter o melhor aproveitamento do espaço.

 

Quem possui espaços reduzidos, deve apostar ainda assim em ter uma mesa de centro – que poderá ser colocada em um canto, entre um sofá e outro, ou um sofá e uma poltrona. Em um espaço reduzido, outra opção é escolher um sofá menor e uma mesa de centro menos perceptível, ou ainda, investir em uma mesa maior, mas diminuindo o número de peças para sentar.

 

Sendo assim, não há uma indicação direta de tamanho adequado ou regra geral de uso. O que vale é a disponibilidade de espaço para o móvel, que irá receber objetos como abajures, aparelhos de telefone, pequenos objetos decorativos em cristal e até mesmo vasos com plantas ou revistas.

 

O importante para ter um uso adequado é não deixar menos de 60 cm de espaço para a circulação entre a mesa e os sofás ou outros assentos. Vale salientar que para a compra de uma mesa de centro ou decanto, também não se deve ficar preso aos padrões na hora de  altura desse móvel. Nos últimos anos, as tendências apontam para mesas mais baixas, quase rentes ao chão, o que não deve ser uma regra entre os que irão fazer o uso da mesa de centro.

 

Para quem prefere modelos mais funcionais ou móveis com dupla função, opte por mesas um pouco mais altas, nas quais se possa usar um note book, por exemplo. Ou com nichos para acomodar mais objetos.

Como Escolher Sofás de Modo Geral

Sofás são peças mobiliárias essências, precisam garantir aconchego, conforto e durabilidade aos moradores da casa.

 

Não há hoje uma regra rígida que deva ser seguida para a escolha ou a compra de sofás para a casa. Portanto, algumas dicas são importantes para que não haja qualquer tipo de desacerto na hora da compra. Os sofás podem ser altos, mas estes costumam deixar os ambientes pesados, também considere a medida exata do local onde ficará o sofá. O ideal é que antes da compra, a área seja medida e, se possível, sejam colocadas fitas adesivas no chão para que seja visualizado o local do sofá. Considerar também 70 centímetros de vão livre para a circulação de pessoas é algo que sempre deve ser feito, para que mais tarde não haja arrependimentos quanto à dimensão do sofá escolhido. Eles podem ficar em qualquer posição desde que haja harmonização no ambiente.

 

Um bom sofá seja ele em acabamento de couro ou tecido, em forma de jogo, ou individual – um contendo espaço para dois lugares e outro, para três lugares, costuma ser a escolha mais tradicional entre as famílias. Entretanto, para quem vive em apartamentos, uma boa pedida para não ocupar muito o espaço, é manter um sofá de três lugares, na sala de tevê. Para maior acomodação, fazer o uso de duas poltronas é o mais indicado e costumeiro. Caso não haja espaço hábil, faça a opção por ao menos uma poltrona de canto.

Quem possui ambientes maiores e que pode optar por mais sofás, há modelos dos mais diversos, que podem ser combinados entre si. Um sofá de madeira, ou com acabamento em juta fica bonito e garante leveza ao ambiente.  Jogos de sofás de canto podem ser boas opções para salas com lareira, por exemplo.

 

Pense ainda na questão da resistência do sofá. Não invista pouco nesse tipo de móvel, já que ele é bastante durável e a compra por um outro, deve ser realizada pelo menos a cada 5 anos. Ele tem de ser além de resistente, durável, e fácil de limpar. A regra é especialmente dedicada a casas que têm crianças, já que nesse caso, os sofás acumulam muita sujeirinha de bolachas, papéis, que vão sendo acumuladas inevitavelmente. A escolha de um sofá com um bom revestimento evita que ele tenha de ser lavado com muita frequência e, isto garante até mesmo uma maior durabilidade do produto.

Como Escolher Painéis de TV

A sala de TV é um dos cômodos da casa que é mais frequentado pelos moradores. É nela que se recebem as visitas, que os moradores passam bastante tempo assistindo a televisão, ou ainda fazem outras atividades. Antes, para fazer a acomodação dos aparelhos de TV era necessário ter pelo menos uma grande estante para acoplar o aparelho, mas com a redução de tamanho dos ambientes – uma tendência difícil de ser revertida, a indústria moveleira teve de repensar a disposição de alguns aparelhos tão usados como as TVs.

 

As TVs, ao longo do tempo, já foram colocadas nas estantes, depois em racks e até em suportes de metal – estes,  nada charmosos, até foram usados por longo tempo, mas como não oferecem grande conforto e elegância, acabaram sendo substituídos por peças mais interessantes e que ajudam a otimizar os espaços mais apertados.

 

Agora é a vez e a hora dos painéis para televisão e outros aparelhos como home theater. Os painéis ajudam não somente a economizar espaço, mas ainda deixam a sala mais aconchegante e bem decorada.

 

Há diferentes modelos de painéis para televisão no mercado. Para escolher o mais adequado, basta observar os detalhes da decoração da sua casa. Eles podem ter diferentes tipos de acabamentos – madeira, mdf, mármore – e que em geral são acoplados a outros tipos de móveis como os nichos e as prateleiras. Dessa forma, acabam compondo uma decoração muito otimizada e com requinte, uma vez que nenhum tipo de fiação fica visível aos olhos dos frequentadores da sala de TV.

 

Modelo mais tradicional e que é largamente empregado em casas e apartamento é o painel fixo. Ele lembra uma estante chapada, e apresenta quase a mesma função, em especial se vier acompanhada de outros acessórios.

 

Quem já gosta de ousar um pouco mais na decoração e na inovação, pode apostar em um modelo de painel giratório. Mas, quem prefere este modelo, precisa tomar alguns cuidados, com a fiação e o acabamento, que deve ser perfeito, para que nada fique aparente.

 

Também é importante atentar-se para a colocação do painel para não errar a mão. A televisão deve ser colocada em uma parede de destaque, portanto, o painel deve ser colocado nessa parede, e não em outra que seja talvez maior, mas que não chame tanto a atenção dos moradores.

 

Outro cuidado é em relação à iluminação próxima ao painel. Aposte em luminárias embutidas, uma vez que não é adequado colocar pendentes perto do painel.