Dicas de Como Cobrir Revestimento Cerâmico nos Interiores

Quem está procurando fazer uma reforma na decoração do interior de sua casas, mas quer evitar o quebra-quebra que em alguns casos é quase inevitável, pode apostar em uma boa e significativa mudança fazendo o uso dos recursos de cobertura de revestimento cerâmico. Há uma diversidade de maneiras para cobrir revestimento cerâmico nas paredes. A escolha do melhor método depende de cada situação e também do resultado pretendido.

 

A forma mais indicada pelos profissionais da área para a cobertura de revestimento cerâmico de paredes é a pintura. Limpo, prático e de custo muito baixo. Isto porque é possível aplicar somente a pintura, deixando aparente o relevo formado pelo rejunte, ou então aplicar primeiro uma fina camada de massa corrida e depois a tinta, para que os rejuntes sumam completamente.

 

Já quando os rejuntes continuam aparentes, o aspecto final é mais rústico e improvisado do que a parede lisa, mas isso pode ser desejável caso se queira remover os desenhos ou a cor do azulejo, no entanto, ainda se mantém um visual um pouco diferenciado, e menos corriqueiro que em outras situações.

 

Outro método que pode ser utilizado é o de cobertura do revestimento com massa. Neste caso, podem ser utilizadas certas texturas comuns ou então uma massa cimentícia. O processo é muito parecido com a pintura, porém com a diferença de agregar informação visual às paredes, como os veios das texturas ou o aspecto rústico das massas de cimento.

 

No entanto, como em todos os processos de arquitetura, há algumas desvantagens tanto na pintura, quanto na colocação de massa sobre os revestimentos em paredes. Um deles é a impossibilidade de cobrir os azulejos de dentro do box ou de outras regiões que tenham muito contato com a água. Uma opção, nessa situação, é deixar o revestimento aparente apenas no box, ou então, cobrir a cerâmica com um tipo de porcelanato. Este, porém, não pode ser executado por um profissional que não seja qualificado, muito menos é o método mais econômico entre eles.

 

Outra alternativa que tem sido uma boa aposta é cobrir a cerâmica com gesso. Nesse caso, é necessário usar placas de gesso acartonado parafusadas sobre a cerâmica. É uma opção para cobrir os azulejos de maneira rápida, e que permite o uso posterior de qualquer tipo de revestimento, mas que tem o inconveniente de agregar muita espessura às paredes. Não é recomendado para locais que tenham umidade.

Paredes Revestidas em Tijolo Aparente

Paredes acabadas com tijolo aparente apresentam de maneira geral certa rusticidade aos ambientes. São de fato, muito bonitos se bem colocados. Além disso, há inúmeras vantagens em usar este tipo de acabamento, no entanto, vale lembrar que não é possível sair modificando a parede que recebe este tipo de acabamento com certa frequência. Os acabamentos em tijolo aparente ainda podem ser úteis também para criar uma decoração mais despojada, mesmo sendo um material que desperte a rusticidade.

 

Há diversas maneiras de realizar o acabamento em paredes com tijolinhos, os quais também são conhecidos como “tijolinhos a vista”. Os tijolos podem ficar na cor natural ou então serem pintados de branco, para ficarem mais suaves embora ainda levemente diferenciados. Ou até mesmo podem receber uma camada de outra cor de tinta, caso sejam mais antigos e precisem de alguma manutenção. O ideal é que sempre sejam lixados e resinados com produto apropriado.

 

Uma das maneiras mais tradicionais de fazer o uso do acabamento com tijolo aparente, é erguer a parede com tijolos que possam ficar aparentes, como no sistema de tijolos ecológicos (de demolição) ou então com tijolos mais rústicos. É o modo mais prático porque dispensa a necessidade de revestir as paredes, bastando deixar os tijolos aparentes, e revestir com pintura somente onde por acaso não se queira deixá-los à mostra. Isso reduz gastos e  mão-de-obra, além de deixar as paredes mais finas, ocupando menos espaço. Vale lembrar que para o assentamento de tijolos aparentes é importante a contratação de mão de obra especializada. Também é preciso lembrar que obras feitas com este material tendem a ser mais lentas.

 

Outra forma de trabalhar com o tijolo aparente é revestir uma parede que já está pronta com ele. Nesse caso, a parede não é revestida com um tijolo inteiro, e sim apenas a metade dele, já que não há a necessidade de erguer uma divisão. O tijolo fica  com cerca de 5 cm de espessura. Essa solução é ideal para quem quer realismo, pois são tijolos de verdade, no entanto há o inconveniente de aumentar muito a espessura da parede, perdendo assim um pouco de espaço e dificultando a execução no encontro com móveis e caixilhos, pois fica muito saltado para frente.

 

Outra aposta que tem sido muito usada, e que pode ter um custo menor do que o tijolo aparente é fazer o uso de cerâmica que imita o tijolinho. Solução ideal também para paredes já prontas, já que as cerâmicas com aspecto de tijolo têm o efeito inverso do tijolo aparente, pois são mais finas, portanto mais fáceis de aplicar, mas um pouco menos realistas.

Dicas de Materiais Para Revestir Escadas Internas

As escadas no interior das casas muitas vezes não são feitas somente em madeira, algumas ainda são produzidas em cimento e, por conta disso, precisam ser revestidas. E é importante salientar que a escolha de material para fazer este tipo de revestimento precisa ser bem planejada, uma vez que depende da decoração e do tipo de material com que foi feita. Algumas escadas nem precisam de revestimento, como as de concreto ou aço inox. De qualquer forma, a escada é sempre um elemento significativo dentro dos ambientes, e seu acabamento merece atenção especial.

 

Os degraus de uma escada podem ter diferentes continuidades, de acordo com a ambientação delas. Eles podem ser uma continuação do piso inferior ou superior, o que gera, dessa forma, maior integração com o ambiente. Outra possibilidade são os acabamentos distintos que servem para que a escada fique realmente destacada no conjunto. Essa segunda opção costuma ficar melhor quando os pisos do andar de baixo e de cima são iguais, e a escada possui algum tipo de apelo visual em termos de design, o que de fato, justifica que ela tenha um elemento a mais.

 

A escolha do material para revestimento de uma escada, porém, não pdoe ser exclusivamente realizado por conta da beleza dele. O grande critério para a escolha é que o material seja anti-derrapante, para evitar acidentes, e também que não solte com facilidade, como tintas ou adesivos. Esses materiais podem ser utilizados nas outras partes da escada, como na parte frontal ou lateral dos degraus, deixando a parte superior com materiais diferentes e mais apropriados, como madeiras, cerâmicas ou pedras.

 

Já para escadas que forem feitas de ferro, os critérios devem ser outros. Escadas de ferro vazadas, que são mais leves, podem receber placas de madeira para formar a parte de cima dos degraus (o chamado espelho), contrastando com a frieza do metal, e pintura com tinta esmalte na parte estrutural, por exemplo. A mesma placa pode ser de pedra, deixando o visual mais rústico, ou então de vidro, uma alternativa mais leve e diferenciada. Outra opção para escadas de ferro são os borrachões, que são bem eficientes em termos funcionais, no entanto possuem efeitos estéticos mais inferiores.

 

Em escadas que forem mais fechadas, como as de alvenaria, há muito mais opções de revestimento. Estes tipos de escadas ficam bem placas na parte superior, um pouco maiores do que a profundidade de cada degrau, e pintura em tinta látex na estrutura, ou então com cerâmica, madeira ou porcelanato em todas as faces.

Escolhendo os Revestimentos da Casa

Escolher quais serão os revestimentos que comporão os ambientes de uma casa é uma das  tarefas mais importantes da decoração. Os revestimentos darão um tom todo especial de estilo aos ambientes, conferindo personalidade e estilo. Em alguns locais da casa, como cozinhas, lavanderias, lavabos e banheiros, os revestimentos são quase indispensáveis, até porque são áreas consideradas molhadas, ou seja, que há um constate uso de água, para diversos fins. Há vários tipos de revestimentos oferecidos no mercado, que atendem aos mais diferentes gostos e bolsos.

 

Os revestimentos podem ser liso, foscos, brilhantes, decorados. Alguns deles já estiveram no topo da lista dos menos desejados, foram substituídos e agora estão no cenário novamente, sendo considerados agora retrô. Com um a outra roupagem, os revestimentos coloridos tem sido aposta de muita gente em uma diversidade maior de ambientes. Eles podem ser usados não somente para decorar uma cozinha, banheiro, lavabo, mas muitas pessoas têm incluído algumas peças na decoração de paredes de salas de estar, salas de lareira e / ou tevê ou até mesmo escritórios que tenham estilos mais rústicos. Há vários desenhos que vão desde os clássicos que lembram os azulejos portugueses até outros em que são pintadas mandalas à mão.

 

Vale ressaltar que este tipo de revestimento pode ser aplicado tanto em paredes como no piso. O único cuidado é quanto à resistência das peças, já que o tráfego local irá influenciar na durabilidade do revestimento.

 

Para ambientes que se deseja conferir um tom mais sóbrio, uma possibilidade para quem quer fugir dos clássicos lisos, é trabalhar com revestimentos que formem composições de painéis. O preto e branco é uma combinação que vai bem em qualquer local da asa, tanto uma parede para sala de jantar, quanto em um banheiro. Vale apostar. Não é um tipo de composição pesada, e que combina bem com diversos tipos de móveis, já que é bem neutra.

 

Quem possui tijolos de vidro em algum ambiente – banheiro, lavabo, lavanderia, cozinha, pode apostar em combinações com pastilhas de vidro, mas é importante lembrar que os tijolos de vidros são altamente democráticos e combinam bem com qualquer tipo de revestimento escolhido. No caso das pastilhas, elas acabam se ressaltando por conta do material de que são feitas.

 

Para quem não tem medo de ousar, um tipo de azulejo que está muito em alta e pode ser colocado na parede da pia da cozinha, são os mosaicos portugueses que remetem às épocas antigas.