Dicas Para Decorar a Casa Com Vinho Terroso

Para quem precisa fazer uma decoração de interior, a grande novidade são os tons de marsala. Muito provavelmente muitas pessoas já tiveram o desejo de usar o tom marsala em algum ponto da casa, mas por ser uma cor muito intensa, o medo de errar no uso é bem mais forte que o desejo de usá-la. No entanto, vale apostar na cor que é a tendência para 2015 na decoração de interiores.

 

A marsala é um tom de vinho puxado para o marrom, graças à sua mistura com tons terrosos. Por se tratar de uma tonalidade forte, o indicado é utilizá-la nos detalhes para que sua casa não fique visualmente cansativa.

 

A marsala é uma cor que transmite requinte, sensualidade e elegância, sendo uma ótima alternativa para ser utilizada nas paredes, em particular de salas de estar ou jantar. É possível combinar a marsala com outras cores e tons neutros e claros, ou até mesmo com marrom e cinza. Para quem quiser ousar, as combinações com o laranja, azul e o rosa estão entre as mais interessantes e mais indicadas.

 

Para quem ainda não tem o costume de investir em cores que fogem um pouco do tradicional, a marsala pode parecer escura e agressiva e pesada, no entanto, se for utilizada corretamente, funciona muito bem para trazer a sensação de aconchego, já que cores escuras tendem a fechar os ambientes. O tom vinho terroso combina tanto com o inverno, devido ao uso de cores fechadas, quanto com o verão, já que ela transmite uma energia quente, remetendo ao calor e à alegria contagiante da estação.

 

Por conta de sua tonalidade terrosa, uma aposta muito assertiva é incorporar a marsala aos ambientes, criando certo equilíbrio com as cores de plantas verdes. Por isso, trata-se de uma cor que também é largamente indicada para decorar áreas externas, como jardins e varandas.

 

Para aqueles que preferem uma decoração de interior um tanto quanto suave ou discreta, a marsala é uma cor que também é considerada ótima para assentos de cadeiras e acessórios. Os especialistas em designer de interiores sugerem o uso da cor em superfícies com texturas, papéis de parede, tapetes, para combinar com estofamentos e outros objetos decorativos.

 

 

Acrescentar esta cor em alguns pontos estratégicos da casa, como arranjos de flores, almofadas e enfeites é uma boa pedida. Invista também na cor marsala nas paredes de quartos e cozinhas, o efeito é bastante ousado.

Sustentabilidade Desde o Projeto da Casa

Hoje um dos elementos que mais são buscados pela arquitetura moderna é a sustentabilidade. Embora o conceito de sustentabilidade pareça ter um ar de muito jovem, não se trata de algo tão recente assim. Há anos diversos especialistas nas áreas de arquitetura e urbanismo (bem como de outras tantas ligadas ou não ao meio ambiente) vêm discutindo a necessidade de práticas que sejam sustentáveis, ou seja, que auto se sustentem, e ao mesmo tempo, sejam mais eficientes e reusáveis.

 

E não seria, pois, obviedade, que o conceito então passasse a ser largamente aplicado entre os profissionais especialistas que têm buscado cada vez mais aproveitar os recursos naturais disponíveis para fazer a construção do que chama de casa verde. Aquela na qual todos os recursos são reutilizáveis e há larga sustentabilidade no projeto, especialmente no que concerne à eficiência energética.

 

E não é apenas a energia que deverá ser mais eficiente no projeto da casa verde. Em tempos de crise, nem é moda o uso racional da água, a preferência por materiais ecologicamente corretos e a preservação ambiental – temas que estão entre os principais fatores que definem uma casa sustentável. Vale lembrar que no Brasil, o conceito é tardio, já que se difunde a pouco mais de 2 anos, ao menos entre a população comum.

 

Para ser fazer um projeto e uma casa sustentáveis, ainda é importante se apoiar no que os profissionais da área chama de respeito a cinco pilares: implantação sustentável, energia e atmosfera, consumo eficiente de água, materiais e recursos, e qualidade interna do ambiente.

 

É de suma importância que todos os projetos que, daqui para frente, forem desenvolvidos, respeitem tais práticas, mesmo que não recebam um telhado em forma de jardim. É preciso sempre olhar para o  meio ambiente como um fator limitante, interferindo o mínimo possível e fazendo a natureza trabalhar a favor da arquitetura da casa.

 

Também é fundamental que as pessoas passem a respeitar algumas premissas que, então, nem sempre foram observadas. Algumas características do lugar onde a casa será erguida devem ser consideradas, tais como disponibilidade de água no subsolo, regimes de chuva e vento, orientação solar, vegetação.

 

Somente fazendo uso de conhecimentos sobre a área natural onde haverá a interferência humana e aplicando técnicas mais modernas, é que a natureza será capaz ainda de suportar as intervenções feitas pelo homem. Quanto menos mexer no que é natural, melhor para o homem, melhor para o meio ambiente.

Como Aplicar o Feng Shui em Sua Casa

Quem quer dar um up na decoração do interior de sua casa, pode se valer das práticas da filosofia milenar do feng shui. Filosofia de origem taoísta, o feng shui tem como intuito organizar os espaços com o fim de atrair influências benéficas da advindas da natureza. o primeiro passo para a aplicação das técnicas de feng shui em uma casa é fazer uma grande limpeza nela. Todo tipo de objeto que está acumulado e, pior, encostado sem qualquer tipo de utilidade, deve ser eliminado. De acordo com a filosofia, é imprescindível que as pessoas aprendam a se desapegar do que já não serve mais.

 

Outra questão é quanto ao armazenamento de objetos que estão danificados ou velhos e não são usados com grande frequência, tudo deve ser eliminado para que não roube energia dos moradores da casa.  Depois de realizada esta primeira organização, a casa deverá passar por uma limpeza geral, estar bem pintada, sem a presença de goteiras, lâmpadas queimadas, entre outros.

 

É ainda importante que sejam identificados os 5 elementos que são principais na arte do feng shui – Terra, Fogo, Água, Metal e Madeira.

 

De acordo com a filosofia do feng shui, é importante que seja dado uma atenção grande à porta de entrada da casa. Por ela, é que entramos e saímos, trazendo e levando energias. Por isso, a porta é um acesso ao mundo exterior e interior. Não se deve deixar porta emperrando ou com fechaduras quebradas. Deixe tudo em plena harmonia.

 

Também é importante que numeração da casa esteja sempre a vista para que as oportunidades também o encontrem.

 

É imprescindível que todos os elementos que estiverem impedindo a visão da entrada da sua casa sejam retirados. Às vezes é difícil percebermos o que está em desarmonia porque estamos acostumados com ela. Uma dica é tirar fotos de todos os cômodos incluindo o banheiro e analisar um por um, sentindo o que está em desarmonia e em excesso, como, por exemplo: iluminação, pintura, disposição dos móveis, enfeites.

 

Dentro de casa, os cuidados devem ser redobrados. Diversifique o uso de cores na sua casa. Quando tudo é da mesma cor, o ambiente torna-se frio. Os móveis devem ter bordas arredondadas. Evite os que são pontiagudos, que podem causar acidentes. O excesso pode ser prejudicial. Por isso, evite ter muitos enfeites, pois eles causam uma poluição visual e obstruem a energia Chi. Os lixos da casa devem ser eliminados com frequência, pois atraem energia negativa. As lixeiras devem estar sempre tampadas, assim como as portas do banheiro e a tampa do vaso sanitário. Também tenha sempre plantas em casa, em especial árvores na sala de estar.

Truques de Decoração Que Podem Mudar a Sua Casa

Decorar casas e / ou apartamentos não é a tarefa mais fácil da face da Terra, no entanto pode ser uma das mais gostosas. Decorar é, de fato, uma arte, já que a premissa para ser fazer decoração é respeitar o estio e gosto pessoal do morador do local, bem como aliar diversos aspectos técnicos de decoração de interiores. E não basta apenas isto, não se pode esquecer  se da aplicação da criatividade que, quando bem traduzida, pode fazer modificações significativas ao ambiente, apenas com o uso de pequenas mudanças e truques da arte da decoração.

 

Outros aspectos também devem ser levados em consideração quando o assunto é decoração, em especial, aquela que é feita a partir de pequenas mudanças. Um decorador de interiores irá avaliar a funcionalidade, o conforto, e a praticidade. Além disso, é importante avaliar se o que foi inicialmente pensado serve para este ou aquele ambiente. Vale lembrar que algumas escolhas são assertivas para um ambiente e para outro não, por razões óbvias.

 

A decoração de uma casa é feita de pequenos detalhes. Então, antes de fazer qualquer mudança muito drástica, mude apenas os móveis de lugar, para visualizar como fica o ambiente. Apenas uma nova disposição de móveis já irá fazer toda a diferença.

 

Se apenas isto não for suficiente, mas o orçamento anda muito apertado para mudanças ainda mais acentuadas, uma alternativa é fazer a reforma de alguns móveis. Trocar os revestimentos de sofás e poltronas custa pouco, e já confere uma mudança bastante acentuada. Vale lembrar que a ideia de reforma de móveis é uma unanimidade entre todos os arquitetos e designers de interiores.

 

Invista em objetos diferenciados para a composição dos ambientes. Mantas novas em sofás, capas de almofadas, almofadas de diversos tamanhos e modelos, custam pouco e dão outra roupagem ao ambiente.

 

Invista em vasos de plantas pela casa. Todo e qualquer ambiente onde tenha plantas já têm u ar muito mais harmônico e alegre. Investir em vasos bonitos e diferenciados trará ainda mais vida a casa. Esta opção se adapta a banheiros, salas, quartos, corredores e até cozinha.

 

Paredes com quadros também ganham outro visual. No entanto, aqui há uma regrinha básica: o cuidado para não sobrecarregar o ambiente e nem gerar conflitos visuais – quadros e fotos, por exemplo, devem estar sempre distantes da TV, pois a dinâmica da observação e contemplação são completamente diferentes.

 

Segredos Para Decorar Ambientes Pequenos

Uma dúvida muito grande por parte de quem precisa fazer a decoração de um ambiente pequeno é como fazer com que este ambiente pareça maior do que realmente é. Além disso, é ainda crucial que o ambiente seja aproveitado de maneira otimizada para que ele garanta conforto e beleza a quem vive nele. Os especialistas em decoração e designers de interiores garantem que o segredo para ter uma casa e / ou apartamento pequeno decorado como o da capa da revista X, não são as belas fotos e ângulos, mas em saber aproveitar cada pedacinho do espaço de forma funcional.

 

Decoração é uma arte e o segredo dela está em não carregar demais os ambientes, quaisquer que eles sejam. Se forem pequenos então, parasse ter sucesso no processo decorativo, é fundamental aprender a não colocar objetos em demasia em um ambiente que cabe poucos. Se, aproveitado cada centímetro de forma correta, os efeitos podem ser surpreendentes.

 

Vale lembrar que, embora muita gente saiba disso, é importante conhecer como a palma da mão as medidas de todos os cômodos da casa. Isto é importante para poder planejar de forma correta cada ambiente. Pense  que para ter uma boa circulação e mais espaço, a quantidade da mobília deve ser mínima e os móveis devem ter as medidas exatas do espaço onde serão acomodados.

 

A escolha das cores é outro ponto de suma importância e que tem influência direta na percepção de tamanho do ambiente. Para as paredes e tapetes, o melhor é apostar em tons claros e neutros. Já no caso dos objetos, as cores podem ser fortes e com detalhes. Mas não se esqueça de que decorar um ambiente pequeno exige moderação e os exageros podem comprometer o visual do ambiente.

 

Aposte muito em uso de espelhos e de iluminação para a decoração de um ambiente pequeno. Se colocado em local estratégico, o espelho dá a impressão de que o espaço é maior. Melhor ainda se a decoração for complementada com uma iluminação que traga a sensação de amplitude e aconchego.

 

Para decorar a sala pequena – importante ambiente da casa – substitua sofás grandes e espaçosos por poltronas menores ou pufes e as estantes por racks. Para decorar uma cozinha pequena, use mesas de tampo de vidro e espelhos para dar mais profundidade no espaço, a mesma dica vale para decorar uma sala de jantar pequena. Os móveis planejados, de preferência na cor branca, dão mais leveza e uma aparência maior ao ambiente, por isso são ideais para decorar quartos pequenos.

Home Office Pode Ser Instalado em Corredor ou Cozinha

Quem possui pouco espaço em casa, mas está precisando de um local para  a montagem de um home office para trabalhar, não precisa sair demolindo as paredes e seguir em uma reforma indesejada. Com alguns truques e reorganização na decoração dos ambientes da casa, é possível montar um home office confortável, que atenda às necessidades e ainda assim, deixar a cara do ambiente com personalidade. E sem gastar muito. Ou quase nada.

 

É possível criar um home office em locais não utilizados de outros ambientes da casa, em geral os espaços a serem utilizados para a montagem de um home office em casa são o quarto e a sala. No entanto, há outros espaços, que muitas vezes nem são utilizados e que podem muito bem servir para a montagem do escritório em casa. O ambiente varia com o perfil do morador, mas como via de regra, a montagem de um home office em um banheiro, é algo inviável por questões óbvias. Muita umidade, pouco espaço. No entanto, há outros locais da casa que podem ser muito bem aproveitados. Cantos de salas, e até mesmo corredores, são opções que têm agradado e muito pessoas com espaço limitado em suas residências.

 

Embora cozinhas também não sejam nada habituais, podem se tornar locais de trabalho altamente funcionais, em especial dependendo do negócio. Um ambiente integrado à sala, cozinha e home office pode ser perfeito, por exemplo, para que mora sozinho.

 

Mas é sempre importante ressaltar que a aparência do home office, independente de onde ele seja instalado, não deve parecer algo improvisado. Para isso, as cadeiras e mesas podem e devem ser bonitas, mas o fundamental é que permitam que seus pés fiquem apoiados no chão e o antebraço na mesa, mantendo a coluna reta ao formar um ângulo de 90° com o quadril. Aposte em iluminação direta para não forçar a visão.

 

Outra dica é fazer uso de gavetas, prateleiras e nichos, para que o ambiente fique bastante organizado. Armários fechados com nichos abertos, que possam receber objetos decorativos, são ótimas opções. Armários que escondam impressoras, roteadores deixam o ambiente limpo. Mesas com compartimentos que escondam canetas e lápis organizam o espaço. Na mesa, deixe apenas adornos e o essencial, como computador/notebook.

 

E assim como todos os processos em decoração, também é fundamental que o home office em um cômodo integrado, tenha muita harmonia com o restante da decoração.

Usando Mancebos e Cabideiros na Decoração de Interiores

Alguns elementos decorativos que haviam caído no esquecimento, têm- se mostrado à luz das novas tendências de decoração e design de interiores. O mais incrível é que algumas dessas peças carregam um ar de retrô e vintage que nem elas mesmas sabiam.

 

São vários os profissionais de arquitetura e design que têm batido perna em muitos brechós e antiquários em busca de peças originais, sendo que algumas que fazem sucesso estão sendo revisitadas e ressuscitadas por importantes fabricantes de objetos decorativos. Este parece ser o caso de mancebos e cabideiros que, até os anos de 1980, pareciam ter caído totalmente em desuso e que nos últimos dois, três anos, figuram entre os principais elementos de decoração de certos ambientes em feiras de decoração e design internacionais.

 

O mancebo é uma peça cujo nome remete também a uma outra definição. Trata-se de uma haste de madeira ou metal com vários braços e utilizada para pendurar roupas, ou seja, um tipo de cabide. No entanto, em português do século XVIII ou XIX, a palavra era referência direta aos jovens moços que viviam em situação de concubinato.

 

Já os cabideiros são peças para organização de roupas e chapéus que possuem diversos ganchos. O mais comum de ser visto são os cabideiros de madeira, que são presos à parede ou porta. Mas, vale lembrar que à título de uso, os mancebos e cabideiros são bem semelhantes, uma vez que a função é praticamente a mesma. Para diferenciar um e outro, os mancebos ficam na vertical, em pé. Os cabideiros são presos às paredes diversas.

 

Os mancebos e cabideiros são peças que ajudam a conferir uma organização muito maior quando se recebe uma visita, por exemplo. As pessoas podem acomodar seus casacos e bolsas nos mancebos, se estes estiverem bem à mostra. Uma opção é ter um mancebo à entrada do hall; já para os mais desorganizados um mancebo no quarto vai muito bem.

 

Aposte em mancebos coloridos para quartos de crianças, ficam bem interessantes.

 

Já os cabideiros são apostas para quartos de hóspedes, quartos de casal, crianças e até mesmo de bebês. Aposte em cabideiros de materiais dos mais diversos que conversem com o material dos elementos que já fazem parte da decoração do local. Os mais duráveis são os de aço inox, que além de não enferrujarem, duram uma longa temporada.

Dicas de Arquitetura Para Construir Respeitando as Árvores

É importante entender que hoje é fundamental que alguns princípios na arquitetura sejam diferentes daqueles que eram feitos até bem pouco tempo. Antes, para se construir uma casa, todas as árvores que existissem em um terreno eram arrancadas. Hoje, sabendo da importância do verde para a manutenção da vida, cada vez mais as pessoas buscam novas formas de adaptar suas construções para evitar agressões à natureza. Dessa maneira, a aplicação do conceito sustentabilidade, que está cada vez mais presente na vida das pessoas, passa a ser usado em sua real totalidade.

 

É por isso que na hora de construir em local que haja árvores, a postura agressiva deve ser posta de lado, e o respeito pela natureza deve prevalecer. De acordo com diversos profissionais ligados à arquitetura, quem vai fazer uma construção e  prefere manter as árvores no terreno e adapta o projeto à existência delas, prova que está respeitando a vida em sua totalidade. Árvores são sinônimos de melhor qualidade do ar, renovação da água, melhora na qualidade do solo, e por ai vai.

 

Além disso, quem vai fazer a obra ainda ganha em outro quesito: não é preciso gastar com a derrubada, a árvore continua seu ciclo de vida, e o resultado para a construção, em termos principalmente de proteção térmica, é muito melhor do que se a árvore não existisse. Os ambientes ficam agradáveis e até diferenciados.

 

Algumas alternativas têm sido largamente empregadas por profissionais e moradores entusiastas: construir entre as árvores, criando uma volumetria que circunde a vegetação existente. As aberturas da casa ficarão assim mais protegidas e com um visual bem agradável.

 

Outra possibilidade é fazer rasgos no piso, na cobertura ou no muro que permitam a passagem dos galhos e troncos, como se a árvore estivesse atravessando as superfícies. O efeito dessa solução é mais inusitado, e integra a natureza com a construção, simbolizando a harmonia entre as partes.

 

Ainda é possível criar efeitos mais interessantes ainda; e outros também comuns. Para rasgar pisos e coberturas, o mais prático é que isso seja feito em terraços ou até mesmo em varandas cobertas, que possam ter furos com passagem de água no caso de chuva. Mas não é impossível também fazer isso na parte interna da casa, com a devida vedação dos vãos entre as lajes e o tronco. É possível ainda criar jardins de inverno no local onde exista uma árvore de grande porte.

Design Volta ao Minimalismo

Dois conceitos precisam ser compreendidos: design e minimalismo. O primeiro é relativamente novo, e surgiu a partir de necessidades criadas com a Revolução Industrial, em meados do século XIX. O design, cuja definição pode ser exposta como idealização, criação, desenvolvimento, configuração, concepção, elaboração e especificação de materiais e objetos específicos, também é a profissão de quem atua na área deste tipo de criação – designer. Trata-se de um tipo de atividade que exige estratégia de quem atua, além de muita técnica e criatividade, uma vez que tudo deve ser orientado por uma intenção ou objetivo, ou para a solução de um problema.

 

Já o minimalismo é uma concepção de arte, surgida na escola de pintura abstrata, a qual que vê num quadro um objeto estruturado, composto basicamente de formas geométricas elementares executadas em estilo impessoal, reduzindo ao mínimo seus elementos.

 

Atualmente, os dois conceitos estão em alta e foram fundidos, literalmente. Em diversos processos de design de interiores, cujo setor vê-se em visível crescimento mundo afora, vai se voltar nos próximos anos para o minimalismo, mais tranquilo, devido à crise e à necessidade de ir ao encontro de outros padrões de consumo, em especial do padrão de sustentabilidade.

 

De acordo com especialistas na área, trata-se de um movimento em direção à busca pelo que é essencial, e que se reflete no desejo de possuir objetos de que realmente necessitamos ao nosso redor para viver. Então, o que será visto no interior das casas, nos próximos anos, é a tendência, em outras palavras, de menos será sempre mais. Deve-se, portanto, primar pela excelência usando poucos elementos decorativos na decoração de interiores.

 

As linhas dos móveis serão, portanto, mais apuradas, mas lisas e secas. Ao mesmo tempo, que parecem incorporar certa ausência de requinte, este será encontrado justamente no fato de que mobiliário, em formas arquitetônicas que serão muito mais utilitárias do que massificadas. Irá valer o que é útil e não o fútil.

 

A proposta observada na última feira de Arquitetura e Design em Paris trazia aos visitantes como tema principal, uma forma de encontrar uma maneira de viver mais leve, sem excessos, mais livre de objetos. A proposta de “voltar ao essencial” vai contra a do “bling bling”, luxo ostentoso que entra em choque, em sua opinião, com o ambiente de crise que vive o mundo.

 

A partir dessa nova proposta do design voltar ao minimalismo, é possível vislumbrar nos próximos anos, os interiores das casas com objetos mais sóbrios, sugeridos somente por linhas e feitos com pouco material, como uma cadeira geométrica ou um sofá em acrílico, quase transparente. É aguardar para ver.

Decore o Interior da Casa Com Preto e Branco

Quem gosta de ar de atemporalidade, pode apostar em determinados estilos e cores para realizar a decoração dos interiores de suas casas, sem qualquer medo de errar, em especialmente quando se trata de algumas cores, como é o caso do branco e do preto. O estilo mais sóbrio, muito explorado por quem não quer grandes ousadias, confere muita elegância ao ambiente, além de certo ar de despojamento. A combinação de preto e de branco, também é uma das melhores alternativas para quem vive em espaços reduzidos; aposte ainda nas duas cores para quartos, salas, cozinhas.

 

Para a sala de estar, que pede elegância e elegância e, ao mesmo tempo, espaço, o ideal é garantir a sofisticação ao ambiente e integrá-lo a alguma outra área, cozinha ou sala de jantar. Para isto, use piso preto e branco e aproveitou o espaço da sala colocando pufes e prateleiras. Dessa maneira, é possível ainda colocar os objetos decorativos e ainda organizar os pessoais.

 

Na parede da sala ainda pode ser aplicada canjiquinha resinada, sofá com uma cor mais escura, para o cinza ou preto com estampas, e painel na parede para centralizar a tevê. Também faça uso de rack baixo para organizar os demais eletrônicos.

 

Para quem quer aplicar o preto e branco em um quarto, para que ele fique simples, chique e moderno basta combinar as cores de piso, cortinas e paredes. Vale ainda apostar em móveis brancos (em particular se o piso for branco, ajuda a dar amplitude ao ambiente). Muitas almofadas em branco e preto, ou cinza, para quebrar um pouco da combinação. Aposte ainda na iluminação, que deve ser branca para deixar o quarto com o máximo de claridade. Neste caso, o ideal é que a cortina seja feita em material black out, para bloquear a luz à noite.

 

Outra boa ideia é usar a combinação em cozinha. Aposte em piso preto e branco, formando xadrez. Confere um ar de modernidade. Os móveis embutidos ajudam a dar um ar de organização e uso otimizado do espaço. O tom cinza escovado também está em alta, aposte na cor para a geladeira, micro-ondas e outros eletrodomésticos.

 

Banheiros em preto e branco também são muito assertivos. No entanto, como se trata de um ambiente cujo espaço costuma ser bem reduzido, o ideal é ser bem criativo para surpreender e não cair no erro de gerar a sensação de espaço que foi reduzido.