Dicas Para Escolher o Papel de Parede Para os Diferentes Ambientes da Casa

Quem quer mudar a decoração dos ambientes da casa ou ainda, está terminando uma obra e quer uma boa dica de decoração, é fazer o uso de papel de parede. O papel de parede pode ser um ótimo aliado nos processos de decoração, ele dá uma vida nova aos ambientes que precisam de renovação e para os novos, ele proporciona um efeito muito interessante no conjunto da obra. No entanto, é sempre bom lembrar que há alguns aspectos que devem ser considerados antes de fazer a aplicação do papel de parede.

 

Por exemplo, é importante que a obra já tenha sido totalmente concluída antes de fazer a aplicação do papel de parede. Também é fundamental que a parede esteja preparada para a aplicação. Não pode haver imperfeições na parede, ela teve ter condições para aplicação do papel, para assim garantir a durabilidade do produto. A preparação com massa corrida ou fundo preparador para gesso é necessária para que a superfície fique lisa e impermeável. Uma parede úmida ou com infiltração não é aconselhável.

 

Além disso, também é importante que a escolha seja adequada a cada ambiente.

 

Também é preciso saber de antemão quais serão as paredes que vão receber a aplicação desse tipo de material. Escolher apenas uma parede do cômodo para aplicar o papel vai fazer com que a parede selecionada seja o ponto de destaque do ambiente. Este tipo de aplicação é ideal para papéis com cores fortes ou estampas chamativas e elaboradas, além de ser uma boa opção para quem ainda quer se acostumar com o efeito do material.

 

Para quem quer aplicar papel de parede nos quartos, também deve se ater a alguns cuidados. Em quartos de criança, por exemplo, o mais recomendável é a utilização do papel de parede vinílico, uma vez que a lavagem é mais prática e ele acumula menos poeira que outros materiais.

 

Já em salas, tanto de jantar quanto de estar, a aplicação do papel em uma única parede é uma boa pedida para turbinar a decoração sem criar um efeito visual pesado quando combinado com almofadas, sofás, poltronas, cortinas, tapetes e outros objetos. Quem preferir, pode optar pela aplicação de tons mais neutros em todas as paredes, causando uma sensação mais tradicional e aconchegante.

 

Já para quem deseja aplicar na cozinha, as aplicações mais comuns são as que não ocupam todas as paredes. Escolha uma parede para ser o ponto focal, ou aproveite as áreas entre bancadas e armários para fazer uma aplicação de meia parede.

Dicas de Iluminação dos Ambientes

A iluminação adequada faz parte da composição do ambiente. Ela significa conforto e eficiência. Ao contrário, quando acontece uma iluminação ineficiente, por ter sido mal planejada, ela é capaz de desvalorizar e prejudicar completamente o bom funcionamento dos espaços.

 

Vale lembrar que cada ambiente da casa deve ter o seu projeto de iluminação definido separadamente. Não é possível fazer o mesmo tipo de iluminação em todos os ambientes, este costuma ser um erro muito comum entre as pessoas, em particular àquelas que não recorrem aos serviços de profissionais especializados. O que acontece, de forma geral, é que há uma grande desvalorização do espaço, que não apresenta conforto e muito manos agradabilidade.

 

No banheiro, por exemplo, o espaço costuma ser reduzido, porém as necessidades também são variadas. É interessante ter uma luz geral e outra mais focada próxima ao espelho, para fazer a barba ou retocar a maquiagem, por exemplo, e se possível ter mais um ponto que ilumine bem a região do chuveiro. Caso não exista um ponto específico para essa função, é possível improvisar com uma luminária do tipo spot, que direcione uma lâmpada para o meio do banheiro e a outra para o box. As luzes do banheiro devem ser preferencialmente brancas, caso se queira maior eficiência e visibilidade.

 

Já quem possui um home office em casa, precisa ter também um olhar bem cuidadoso no momento de realizar  projeto de iluminação do ambiente. No home office, a prioridade é privilegiar o trabalho, com uma boa iluminação próxima à região da mesa, mas sem ofuscar a tela do computador, se houver, nem a vista de quem está trabalhando. E isso se aplica à luminosidade artificial, vinda das luminárias, e também à luz natural, que vem das janelas. Podem ser usadas luminárias no teto ou então luminárias de mesa, que possam ser acionadas separadamente. E a iluminação geral, principalmente se o ambiente for pequeno, pode dar conta do recado sozinha.

 

No entanto, nada impede que a criação de uma ambientação mais nobre, que deixe o espaço mais convidativo, estimulando a permanência no local. O ideal é misturar uma iluminação mais eficiente, de luzes brancas e fortes, com pontos de luz mais suaves e amarelados, criando certo equilíbrio. O trabalho passará  ainda a ser mais estimulado.

 

Na iluminação do quarto, o principal objetivo é a busca pelo conforto. Para uma ambientação mais intimista e aconchegante, o quarto não precisa necessariamente de uma iluminação geral, mas sim de alguns pontos específicos, em especial, próximo à cabeceira da cama.

Dicas de Uso de Cores Para Deixar a Casa Mais Tranquila

A escolha da tonalidade das cores para decorar o interior de um ambiente, pode ser determinante para a tranquilidade do local. A opção por cores claras, certamente trará a sensação de aconchego, tranquilidade e paz. É uma ótima pedida para a sala de estar, o banheiro e, principalmente o quarto, mas vale lembrar que a escolha pela cor depende do estilo e da personalidade de cada casa. Uma combinação entre branco e azul costuma ser muito charmosa e tranquila, já que a clássica combinação destes tons evoca o mar, o céu e calmaria, tornando-se uma ótima opção para decorar qualquer ambiente.

 

Como a cor azul está diretamente associada ao céu e mar, serve como um estímulo ao relaxamento, mas evoca também o estilo navy, muito apreciado pelos designers de interiores. Na cromoterapia, o azul possui uma simbologia bem peculiar: diminui a pressão sanguínea e ajuda no estímulo ao metabolismo muito lento.

 

No entanto, é importante que a combinação de tons de azul seja mesclada com outros padrões decorativos, florais, listras, e outros como tom sobre tom, ainda são bastante bem vindos, já que adicionam muito interesse ao local onde são aplicados, chamam os olhares de quem circula no ambiente.

 

Cores que combinam muito bem com o azul, além do branco – que dão clareza, limpeza, espiritualidade, esperança, expansividade e infinitude ao local -, outros, são os tons mais claros de cinza, verde claro, amarelo (aposta indicada para quartos de meninos e meninas).

 

Mas vale ressaltar ainda que existem diversos tons de azul, e quando é escolhido um tom muito escuro ele pode causar a sensação de diminuição do ambiente. Por isso, é sempre recomendado que o tamanho e o layout do cômodo sejam analisados antes de fazer a pintura e / ou aplicação de papel de parede, bem como de texturas.

 

Para quartos pequenos que não recebem muita luz natural, a dica é evitar azuis escuros como o cobalto e o klein. No entanto, se a pessoa deseja obter algo mais sofisticado, as sugestões são o azul do ovo dos robins, prussiano, céu, marinho ou azul meia-noite.

 

Vale lembrar que para quartos de bebês, os tons de azuis mais indicados são os mais suaves; já para quartos de adolescentes, a aposta por ser feita em tom sobre tom. Uma prede mais escura e as demais com aplicação de azul mais claro.

 

Dicas Para Decorar a Casa Com Vinho Terroso

Para quem precisa fazer uma decoração de interior, a grande novidade são os tons de marsala. Muito provavelmente muitas pessoas já tiveram o desejo de usar o tom marsala em algum ponto da casa, mas por ser uma cor muito intensa, o medo de errar no uso é bem mais forte que o desejo de usá-la. No entanto, vale apostar na cor que é a tendência para 2015 na decoração de interiores.

 

A marsala é um tom de vinho puxado para o marrom, graças à sua mistura com tons terrosos. Por se tratar de uma tonalidade forte, o indicado é utilizá-la nos detalhes para que sua casa não fique visualmente cansativa.

 

A marsala é uma cor que transmite requinte, sensualidade e elegância, sendo uma ótima alternativa para ser utilizada nas paredes, em particular de salas de estar ou jantar. É possível combinar a marsala com outras cores e tons neutros e claros, ou até mesmo com marrom e cinza. Para quem quiser ousar, as combinações com o laranja, azul e o rosa estão entre as mais interessantes e mais indicadas.

 

Para quem ainda não tem o costume de investir em cores que fogem um pouco do tradicional, a marsala pode parecer escura e agressiva e pesada, no entanto, se for utilizada corretamente, funciona muito bem para trazer a sensação de aconchego, já que cores escuras tendem a fechar os ambientes. O tom vinho terroso combina tanto com o inverno, devido ao uso de cores fechadas, quanto com o verão, já que ela transmite uma energia quente, remetendo ao calor e à alegria contagiante da estação.

 

Por conta de sua tonalidade terrosa, uma aposta muito assertiva é incorporar a marsala aos ambientes, criando certo equilíbrio com as cores de plantas verdes. Por isso, trata-se de uma cor que também é largamente indicada para decorar áreas externas, como jardins e varandas.

 

Para aqueles que preferem uma decoração de interior um tanto quanto suave ou discreta, a marsala é uma cor que também é considerada ótima para assentos de cadeiras e acessórios. Os especialistas em designer de interiores sugerem o uso da cor em superfícies com texturas, papéis de parede, tapetes, para combinar com estofamentos e outros objetos decorativos.

 

 

Acrescentar esta cor em alguns pontos estratégicos da casa, como arranjos de flores, almofadas e enfeites é uma boa pedida. Invista também na cor marsala nas paredes de quartos e cozinhas, o efeito é bastante ousado.

Dicas de Como Melhorar a Decorar do Interior de Sua Casa

Para aqueles que não estão satisfeitos com a decoração do interior de suas casas, o primeiro passo a ser dado não é sair quebrando tudo, nem mesmo mudando todos os móveis de lugar. Tais atitudes podem não ser a melhor saída e, ainda deixar o que realmente incomoda na mesma situação. A primeira etapa é observar com clareza todo o ambiente de modo que fique evidente tudo o que não está em harmonia no local. Daí em diante é eliminar as possibilidades e traçar um planejamento para fazer as modificações necessárias etapa por etapa.

 

Depois da observação, verifique se o que acontece no ambiente não é apenas uma poluição visual. Se este for o caso, a mudança de algumas peças, reposicionamento de alguns móveis, e pinturas nas paredes, já amenizará o problema. Se a questão não for exatamente a poluição, mas sim a própria disposição do ambiente, o ideal é  fazer a contratação de serviço de um profissional especializado em designer de interiores para que ele faça uma avaliação do que pode e deve ser modificado na decoração do interior da casa e ou apartamento.

 

Serão sempre os mesmos critérios os quais devem prevalecer no momento de fazer uma avaliação do ambiente e que todo profissional qualificado irá primar por eles. Funcionalidade, conforto e o prazer visual. Estes são critérios e princípios que são a base para a percepção e análise do ambiente atual, deixando claro qual é o problema.

 

Se o caso forem as pequenas mudanças, elas podem ser realizadas pelo próprio dono da casa, como a troca de móveis, objetos de decoração, no entanto, a contratação dos serviços de um profissional treinado e com larga experiência, logo, dará mais conforto aos moradores, uma vez que o profissional saberá quando e como fazer as intervenções, para que a casa não se torne um caos, vindo a baixo.

 

Caso as mudanças a serem realizadas seja estruturais, como acrescentar ou derrubar paredes, acrescentar um andar, não há outro caminho se não fazer a contratação de um profissional. Somente um arquiteto, por exemplo, saberá como fazer algumas intervenções como rearranjar o espaço, manter e / ou melhorar a funcionalidade dos ambientes, modificar a ventilação, levar um cômodo a ter mais exposição ao sol, e assim por diante.

 

Sem contar que, todas as modificações estruturais feitas em uma casa precisam estar documentadas e assinadas por um técnico responsável, pois havendo algum problema, ele deverá ser responsabilizado.

Sustentabilidade Desde o Projeto da Casa

Hoje um dos elementos que mais são buscados pela arquitetura moderna é a sustentabilidade. Embora o conceito de sustentabilidade pareça ter um ar de muito jovem, não se trata de algo tão recente assim. Há anos diversos especialistas nas áreas de arquitetura e urbanismo (bem como de outras tantas ligadas ou não ao meio ambiente) vêm discutindo a necessidade de práticas que sejam sustentáveis, ou seja, que auto se sustentem, e ao mesmo tempo, sejam mais eficientes e reusáveis.

 

E não seria, pois, obviedade, que o conceito então passasse a ser largamente aplicado entre os profissionais especialistas que têm buscado cada vez mais aproveitar os recursos naturais disponíveis para fazer a construção do que chama de casa verde. Aquela na qual todos os recursos são reutilizáveis e há larga sustentabilidade no projeto, especialmente no que concerne à eficiência energética.

 

E não é apenas a energia que deverá ser mais eficiente no projeto da casa verde. Em tempos de crise, nem é moda o uso racional da água, a preferência por materiais ecologicamente corretos e a preservação ambiental – temas que estão entre os principais fatores que definem uma casa sustentável. Vale lembrar que no Brasil, o conceito é tardio, já que se difunde a pouco mais de 2 anos, ao menos entre a população comum.

 

Para ser fazer um projeto e uma casa sustentáveis, ainda é importante se apoiar no que os profissionais da área chama de respeito a cinco pilares: implantação sustentável, energia e atmosfera, consumo eficiente de água, materiais e recursos, e qualidade interna do ambiente.

 

É de suma importância que todos os projetos que, daqui para frente, forem desenvolvidos, respeitem tais práticas, mesmo que não recebam um telhado em forma de jardim. É preciso sempre olhar para o  meio ambiente como um fator limitante, interferindo o mínimo possível e fazendo a natureza trabalhar a favor da arquitetura da casa.

 

Também é fundamental que as pessoas passem a respeitar algumas premissas que, então, nem sempre foram observadas. Algumas características do lugar onde a casa será erguida devem ser consideradas, tais como disponibilidade de água no subsolo, regimes de chuva e vento, orientação solar, vegetação.

 

Somente fazendo uso de conhecimentos sobre a área natural onde haverá a interferência humana e aplicando técnicas mais modernas, é que a natureza será capaz ainda de suportar as intervenções feitas pelo homem. Quanto menos mexer no que é natural, melhor para o homem, melhor para o meio ambiente.

Como Tirar Proveito da Ventilação Natural

Quando um projeto de arquitetura é elaborado, são diversos os elementos que devem ser combinados para que a obra seja um sucesso. Uma das grandes preocupações da arquitetura na atualidade é usar de maneira bastante assertiva todos os elementos que a natureza já oferece para otimizar a construção de uma casa, por exemplo. Um desses elementos é a ventilação natural, que é muito importante para garantir o bem-estar e até a saúde nos ambientes, uma vez que qualquer recurso artificial, embora possa refrescar, não tem um efeito tão completo.

 

Quando é possível aproveitar em um projeto a ventilação natural, tanto quem projeta quanto quem será a dono da obra, serão muito felizes na conquista. Isto porque a ventilação natural garante a circulação eficiente do ar, eliminando o ar quente e cheio de toxinas e permitindo a entrada de ar de maneira simples e renovada, sempre.

 

Para que isto aconteça, deve haver uma lógica no projeto. A lógica da ventilação é que o ar quente, mais leve, tende a subir, enquanto o ar frio, mais denso, desce. É por isso que existe a chamada “ventilação cruzada”, que é aquela em que o ar entra pelas partes mais baixas da construção e sai pela parede oposta, por aberturas mais altas, mesmo que seja em locais bem afastados. Para que esse efeito funcione bem, é importante analisar a direção e a força dos ventos de cada local, para que a quantidade não seja nem insuficiente e nem grande demais. Portanto, o principal em uma obra que ainda será realizada, é projetá-la de maneira que as janelas e portas tendam a ficar próximas de correntes de ar, ou em corredores de maior circulação.

 

Tais correntes se formam também a partir da existência de aberturas em paredes diferentes, as quais podem ser percebidas em qualquer lugar que tenha incidência de ventos. Se, em um apartamento, por exemplo, um dos quartos tiver a janela voltada para frente do terreno e o outro tiver uma janela voltada para a lateral.  E, se um vento bater na parte da frente, as portas só irão se fechar fortemente, se as duas janelas estiverem abertas, ou seja, se o caminho todo de entrada e saída do vento estiver totalmente livre.

 

Outra vantagem de melhor aproveitamento da ventilação natural é no que se refere a diminuição de gastos com energia, já que evita a ligação de máquinas de secar roupa e ventiladores. O bolso e a natureza agradecem.

Como Aplicar o Feng Shui em Sua Casa

Quem quer dar um up na decoração do interior de sua casa, pode se valer das práticas da filosofia milenar do feng shui. Filosofia de origem taoísta, o feng shui tem como intuito organizar os espaços com o fim de atrair influências benéficas da advindas da natureza. o primeiro passo para a aplicação das técnicas de feng shui em uma casa é fazer uma grande limpeza nela. Todo tipo de objeto que está acumulado e, pior, encostado sem qualquer tipo de utilidade, deve ser eliminado. De acordo com a filosofia, é imprescindível que as pessoas aprendam a se desapegar do que já não serve mais.

 

Outra questão é quanto ao armazenamento de objetos que estão danificados ou velhos e não são usados com grande frequência, tudo deve ser eliminado para que não roube energia dos moradores da casa.  Depois de realizada esta primeira organização, a casa deverá passar por uma limpeza geral, estar bem pintada, sem a presença de goteiras, lâmpadas queimadas, entre outros.

 

É ainda importante que sejam identificados os 5 elementos que são principais na arte do feng shui – Terra, Fogo, Água, Metal e Madeira.

 

De acordo com a filosofia do feng shui, é importante que seja dado uma atenção grande à porta de entrada da casa. Por ela, é que entramos e saímos, trazendo e levando energias. Por isso, a porta é um acesso ao mundo exterior e interior. Não se deve deixar porta emperrando ou com fechaduras quebradas. Deixe tudo em plena harmonia.

 

Também é importante que numeração da casa esteja sempre a vista para que as oportunidades também o encontrem.

 

É imprescindível que todos os elementos que estiverem impedindo a visão da entrada da sua casa sejam retirados. Às vezes é difícil percebermos o que está em desarmonia porque estamos acostumados com ela. Uma dica é tirar fotos de todos os cômodos incluindo o banheiro e analisar um por um, sentindo o que está em desarmonia e em excesso, como, por exemplo: iluminação, pintura, disposição dos móveis, enfeites.

 

Dentro de casa, os cuidados devem ser redobrados. Diversifique o uso de cores na sua casa. Quando tudo é da mesma cor, o ambiente torna-se frio. Os móveis devem ter bordas arredondadas. Evite os que são pontiagudos, que podem causar acidentes. O excesso pode ser prejudicial. Por isso, evite ter muitos enfeites, pois eles causam uma poluição visual e obstruem a energia Chi. Os lixos da casa devem ser eliminados com frequência, pois atraem energia negativa. As lixeiras devem estar sempre tampadas, assim como as portas do banheiro e a tampa do vaso sanitário. Também tenha sempre plantas em casa, em especial árvores na sala de estar.

Truques de Decoração Que Podem Mudar a Sua Casa

Decorar casas e / ou apartamentos não é a tarefa mais fácil da face da Terra, no entanto pode ser uma das mais gostosas. Decorar é, de fato, uma arte, já que a premissa para ser fazer decoração é respeitar o estio e gosto pessoal do morador do local, bem como aliar diversos aspectos técnicos de decoração de interiores. E não basta apenas isto, não se pode esquecer  se da aplicação da criatividade que, quando bem traduzida, pode fazer modificações significativas ao ambiente, apenas com o uso de pequenas mudanças e truques da arte da decoração.

 

Outros aspectos também devem ser levados em consideração quando o assunto é decoração, em especial, aquela que é feita a partir de pequenas mudanças. Um decorador de interiores irá avaliar a funcionalidade, o conforto, e a praticidade. Além disso, é importante avaliar se o que foi inicialmente pensado serve para este ou aquele ambiente. Vale lembrar que algumas escolhas são assertivas para um ambiente e para outro não, por razões óbvias.

 

A decoração de uma casa é feita de pequenos detalhes. Então, antes de fazer qualquer mudança muito drástica, mude apenas os móveis de lugar, para visualizar como fica o ambiente. Apenas uma nova disposição de móveis já irá fazer toda a diferença.

 

Se apenas isto não for suficiente, mas o orçamento anda muito apertado para mudanças ainda mais acentuadas, uma alternativa é fazer a reforma de alguns móveis. Trocar os revestimentos de sofás e poltronas custa pouco, e já confere uma mudança bastante acentuada. Vale lembrar que a ideia de reforma de móveis é uma unanimidade entre todos os arquitetos e designers de interiores.

 

Invista em objetos diferenciados para a composição dos ambientes. Mantas novas em sofás, capas de almofadas, almofadas de diversos tamanhos e modelos, custam pouco e dão outra roupagem ao ambiente.

 

Invista em vasos de plantas pela casa. Todo e qualquer ambiente onde tenha plantas já têm u ar muito mais harmônico e alegre. Investir em vasos bonitos e diferenciados trará ainda mais vida a casa. Esta opção se adapta a banheiros, salas, quartos, corredores e até cozinha.

 

Paredes com quadros também ganham outro visual. No entanto, aqui há uma regrinha básica: o cuidado para não sobrecarregar o ambiente e nem gerar conflitos visuais – quadros e fotos, por exemplo, devem estar sempre distantes da TV, pois a dinâmica da observação e contemplação são completamente diferentes.

 

Escolhendo os Revestimentos da Casa

Escolher quais serão os revestimentos que comporão os ambientes de uma casa é uma das  tarefas mais importantes da decoração. Os revestimentos darão um tom todo especial de estilo aos ambientes, conferindo personalidade e estilo. Em alguns locais da casa, como cozinhas, lavanderias, lavabos e banheiros, os revestimentos são quase indispensáveis, até porque são áreas consideradas molhadas, ou seja, que há um constate uso de água, para diversos fins. Há vários tipos de revestimentos oferecidos no mercado, que atendem aos mais diferentes gostos e bolsos.

 

Os revestimentos podem ser liso, foscos, brilhantes, decorados. Alguns deles já estiveram no topo da lista dos menos desejados, foram substituídos e agora estão no cenário novamente, sendo considerados agora retrô. Com um a outra roupagem, os revestimentos coloridos tem sido aposta de muita gente em uma diversidade maior de ambientes. Eles podem ser usados não somente para decorar uma cozinha, banheiro, lavabo, mas muitas pessoas têm incluído algumas peças na decoração de paredes de salas de estar, salas de lareira e / ou tevê ou até mesmo escritórios que tenham estilos mais rústicos. Há vários desenhos que vão desde os clássicos que lembram os azulejos portugueses até outros em que são pintadas mandalas à mão.

 

Vale ressaltar que este tipo de revestimento pode ser aplicado tanto em paredes como no piso. O único cuidado é quanto à resistência das peças, já que o tráfego local irá influenciar na durabilidade do revestimento.

 

Para ambientes que se deseja conferir um tom mais sóbrio, uma possibilidade para quem quer fugir dos clássicos lisos, é trabalhar com revestimentos que formem composições de painéis. O preto e branco é uma combinação que vai bem em qualquer local da asa, tanto uma parede para sala de jantar, quanto em um banheiro. Vale apostar. Não é um tipo de composição pesada, e que combina bem com diversos tipos de móveis, já que é bem neutra.

 

Quem possui tijolos de vidro em algum ambiente – banheiro, lavabo, lavanderia, cozinha, pode apostar em combinações com pastilhas de vidro, mas é importante lembrar que os tijolos de vidros são altamente democráticos e combinam bem com qualquer tipo de revestimento escolhido. No caso das pastilhas, elas acabam se ressaltando por conta do material de que são feitas.

 

Para quem não tem medo de ousar, um tipo de azulejo que está muito em alta e pode ser colocado na parede da pia da cozinha, são os mosaicos portugueses que remetem às épocas antigas.